Desativei o meu Facebook e olha no que deu
Pedro Vieweger
10724

Achei engraçado como você descobriu a América no texto. Foi e voltou. E não deve ter sido o primeiro nem o último a ter certeza do quanto uma rede social influencia em nossas vidas, ainda mais quando nos tornamos totalmente dependentes.

O importante é encontrar outros meios, outros lugares. Rede social é ferramenta, não morada. E pode ter a mais absoluta certeza: a maioria das pessoas que te seguem por lá nem notaram que você sumiu.

Uma coisa que falam, em segurança da informação e todo o ciberativismo é o de desagregar o Facebook do máximo possível de sites e plataformas que você use. Pra que você tenha ao menos o controle de sair. Para que você não forneça informações que eles tem até demais. Fiz isso recentemente e realmente mudaram algumas coisas para melhor. Perder a dependência do feed do Facebook e usar feeds controlados por você, como no Feedly e outros apps para acompanhar o que gosta, etc.

E sobre não ter com quem compartilhar, acho que é em parte uma ilusão. Certamente no Facebook, seus colegas vão dar likes e te fazer acreditar que o textão mudou a vida delas, mas você publicou para a Internet. Para uma plataforma que distribui seu texto entre assinantes. Não sou seu amigo e li.

Sair da ilusão é que o desafio de todo mundo, lembrar novamente que existe vida fora de redes, embora até mesmo esta plataforma aqui tenha suas limitações e interesses quanto aos nossos hábitos e amigos.

Like what you read? Give Luciano Andrade a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.