Notas sobre workshop de desenvolvimento de games e apps com Unity e Vuforia

Primeiramente para quem, assim como eu antes de participar do workshop #hackathon, não conhece essa incrível ferramenta que é o Vuforia segue o vídeo institucional dos últimos apps feitos com ela:

https://www.youtube.com/watch?v=wfTv7_eR5fg&list=PLrCBNJga3kdFcn4OttsIeqIYAmK-BNzmD

O Vuforia é uma plataforma de realidade aumentada que trás uma experiência aos usuários muito legal, como dito pelo pessoal da Qualcomm para o slogan do produto:

“Revealing a whole new world”

Para o desenvolvimento de games ou apps de realidade aumenta com uso Vuforia podemos seguir basicamente por dois caminhos:

  1. Desenvolvimento nativo, Java no Android e Objective-C ou Swift no iOS. O Vuforia por questões de restrição a recursos no sistemas não funciona nos demais OS como Windowns Phone, Blackberry e etc.
  2. Utilizando uma engine como o Unity3d;

Para entendermos, e principalmente poder optar por uma ou outra forma de desenvolver, temos que saber qual tipo de aplicação desejamos oferecer. Para quem já desenvolve para mobile podemos fazer uma analogia entre o desenvolvimento com algum framework como PhoneGap ou Cordova utilizando HTML5 e o desenvolvimento nativo. Onde o nativo tem um desempenho maior e a outra opção fica em vantagem no que diz respeito a praticidade e agilidade no desenvolvimento, one source, any deploys.

Em particular para desenvolver Android eu prefiro seguir “nativamente”, isso por conta da minha fluência com a linguagem. Porém para o uso do Vuforia em minhas brincadeiras acabei optando por utilizar o Unity, ao que me parece, a forma com que ele encapsula a aplicação dentro do Android é bem mais eficiente do que como acontece com o PhoneGap por exemplo, onde em alguns pontos os apps perdem visivelmente desempenho.

Além disso o ambiente Unity é muito acolhedor para novos desenvolvedores, isso muito por conta da interface bem intuitiva e pelo grande pacote de exemplos já prontos para que iniciantes assim como eu possa se encorajar a continuar.

Pontos positivos sobre desenvolver Vuforia com Unity3d:

  1. Extremamente simples para aprendizagem de novos developers;
  2. Deploy em várias plataformas (Multiplatform);

Negativos:

  1. Em aplicações que seja necessário um desempenho extremamente fodasticamente alto você pode ficar na mão;
  2. Ainda não possui uma versão para Linux ☹;

Falando agora do Vuforia especificamente, você vai se surpreender o quão fácil é fazer “algo” com ele. No workshop foi apresentado o caso da revista Maxim, onde foi desenvolvido um app para ao detectar a capa da revista e tocar um vídeo do makingof ou whatever. Pesquisando um pouco a coleção de exemplos da api podemos fácilmente reproduzir a estrutura básica para esse app com o uso de imageTarget e a chamada de um vídeo remoto.

Minha intenção com o post é simplesmente registrar a experiência de conhecer uma nova tecnologia tão legal e estimular a quem estiver ai do outro lado a dar uma olhada também. Eu tenho 98% de certeza que muito dos futuros produtos lançados daqui a um tempo irá envolver a tão aclamada augmented reality.

As perspectivas com os novos wear gadgets e seus óculos high-tech são muito animadoras para desenvolvedores, isso por que tendo um dispositivo onde o usuário estará sempre vendo a realidade através de uma interface abre um range de possibilidades muito grande, onde nossa imaginação e criatividade é o limite.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.