Eu sou amor.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. 
A tomar o café correndo porque está atrasado. 
A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. 
A comer sanduíche porque não dá para almoçar. 
A sair do trabalho porque já é noite. 
A cochilar no ônibus porque está cansado. 
A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.
Marina Colasanti (1972)

Oi. Eu sou o Luc. Lucas Pethit.

Eu comecei a escrever sobre viagens lá no igetalone. Depois resolvi contar histórias e mostrar novas formas de viver a vida através de fotos. Tudo isso aconteceu depois que comecei a viajar, há exatamente dois anos atrás. Já passei por Buenos Aires, São Paulo, Fortaleza e, atualmente, estou em Jericoacoara.

A vida tem sido calma. Muita coisa mudou. Muita coisa muda quando a gente para de olhar para o próprio umbigo, quando a gente resolve não se acostumar. Resolvi largar aquela velha forma de viver — trabalhar 8h por dia com algo que possivelmente eu não vou curtir, pegar aquele trânsito maravilhoso, não ganhar o suficiente para viver nesse ritmo e estilo de vida, chegar cansado em casa e capotar de sono pra começar tudo outra vez no dia seguinte… — e ter uma vida onde eu possa respeitar as minhas vontades, o meu corpo, a minha saúde emocional, com tranquilidade, cheia de experiências incríveis.

Aqui pretendo compartilhar o que mudou, quais os estilos de vida que as pessoas que cruzo durante a viagem escolheram, o que acontece no dia a dia de quem escolheu viver um pouco longe do sistema. Quase um “como vivem? o que comem?”! RÁ! E também falar e debater sobre viagem, preconceito, cultura de ódio… BECAUSE I HAVE SOMETHING TO SAAAAY! (tong pop!)

There is peaceful. There is wild. I am both at the same time. — Sum

(vai ter foto até dar uma dor! #paz)

instagram: @lucdodia / contato: lucpethit@gmail.com

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.