Amores líquidos

Ilustração de Valentina Contreras

Não sou como as velas

Que seguem ao vento

Meu amar é mastro firme

Onde amparo por ti meu alento.

Prefiro voltar ao porto

Onde se ancora seu já antigo afeto

A conhecer novos lugares

Pois amar não exige pressa, de certo

E a mim pouco interessa

A incerteza de novos mares.

Desconheço esse amor inconsistente

Com ele, não hei de me contentar

Afinal, sou todo continente

Enquanto o resto é mar.