Quais ferramentas usar para dar feedback sobre conteúdo?

Ludmila Rocha
Apr 30 · 5 min read
Imagem: Comunidade Rock Content

Se UX Writing já é uma especialidade nova no Brasil, firmada há cerca de 3 anos por aqui, que dirá UX Writing focada em conteúdo para interface de produto. Muito comum fora do País, aqui, esta especialidade ainda está engatinhando. Dessa forma, estamos em momento de testar as melhores ferramentas e formatos para dar feedback sobre conteúdo para outros redatores, designers e até para desenvolvedores com os quais trabalhamos diretamente.

Não fiz um levantamento, mas chuto que mais de 80% dos UX writers que conheço são focados em estratégia de conteúdo para chatbot e Voice User Interface (VUI). Para quem nunca ouviu falar nisso, basicamente, mas bem basicamente mesmo, VUI é um recurso que permite às pessoas controlarem dispositivos por voz.

Já entre as pessoas que trabalham com textos para interface, há dois times: os que escrevem. E os que revisam e propõem melhorias para textos que outras pessoas, normalmente designers, escrevem.

Eu integro o segundo time. No dia a dia, verifico a adequação dos textos propostos pelos meus colegas quanto a gramática, tom, voz, além de garantir a aplicação dos padrões de escrita determinados no nosso Guia de Redação.

Mas e no caso de eu ter sugestões de adequações a serem feitas nesses conteúdos? Como dar feedback de maneira simples e ágil aos designers? Abaixo, mostro algumas ferramentas que uso para isso, e listo prós e contras que observei em cada uma.

Mas antes das ferramentas, boas práticas…

Pegar contexto — existe um motivo para as coisas serem como são. Ou seja, provavelmente, há uma razão para determinadas palavras terem sido escolhidas para um dado contexto. Dessa forma, é importante entender as motivações das escolhas anteriores antes de sugerir alterações.

Conversar com as pessoas envolvidas num projeto — nosso trabalho é dar sugestões de textos para interfaces, não imposições de texto..rs. Então, precisamos conversar com as pessoas envolvidas na criação de um projeto, para ver se o que estamos propondo faz realmente sentido. É bacana ouvir opiniões diversas, receber feedback de coração aberto e, se necessário, fazer adequações em nossas propostas.

Para completar: por mais que tenhamos um Guia de Redação, com certos padrões e orientações para nos guiar, e tenhamos que ser firmes (em certa medida) para fazer com que esses padrões sejam seguidos, nada está escrito em pedra. Ou seja, podemos mudar de opinião e propor coisas novas, se isso fizer realmente sentido para a nossa equipe e, sobretudo, para o nosso usuário.

Verificar as propostas — Por último, mas não menos importante, após propor, precisamos verificar a compreensão do conteúdo que propusemos pelos nossos usuários. Falei sobre testes específicos para verificar conteúdo neste post. Após os testes, se for necessário, devemos reformular nossas propostas.

Então vamos às metodologias…

  1. Print de telas e envio de feedback (via doc, apresentação, e-mail, Slack, Hangout, etc, etc)

Esta é uma forma simples de mostrar como está uma tela (ou parte dela), apontar o que acreditamos que pode melhorar em relação a conteúdo/usabilidade, e fazer uma nova proposta. Porém, costuma ser bem trabalhosa.

Outro ponto, é que este método exige que você indique exatamente a rota que seguiu até chegar à tela analisada. Isso é necessário, para o designer ou front não ficar perdido na hora de aplicar as modificações sugeridas por você. Afinal, se ele tiver que ficar te consultando a todo momento, não será eficiente.

2. Hotjar

Muitas equipes de Design utilizam Hotjar, especialmente para acompanhar testes via mapa de calor. A ferramenta, que é disponibilizada por meio de licenças pagas, no entanto, é falha para comentários/feedback.

Antes de tudo, para fazer um comentário nesse software, é preciso estar em posse do link de acesso a um projeto e com a devida permissão de acesso. Com isso em mãos, para comentar, basta clicar na abinha azul intitulada “Feedback”, que aparece no canto inferior direito da tela, e selecionar a área a ser analisada. Até aí, tudo normal.

Tela de feedback do Hotjar

Os problemas começam quando toda vez que é feito um novo comentário é gerado um print de parte da tela, com o comentário feito entre aspas, ao lado do print. Esses comentários, por sua vez, vão enviados para a pastinha do referido projeto no Hotjar (não aparecem no mesmo local em que comentamos).

Como o feedback aparece para o responsável pelo projeto: telas printadas

Além disso, não é possível editar esses comentários, apenas excluir. Outro ponto é que, quando recebemos notificações de respostas ou de ações a tomar em relação ao projeto por e-mail, somos jogados na tela geral de visualização do Hotjar, não diretamente no projeto.

Para completar, comumente os designers também têm dificuldade de encontrar os comentários que foram feitos pelo UX writer ou por outras pessoas de sua squad, como PO, desenvolvedor.

3. Marvel

A ferramenta de feedback deste software é bem simples de operar. Em posse de um link, e com a devida permissão de acesso, somos direcionados diretamente para o projeto. Para fazer um comentário, basta marcar o local desejado com uma bolinha, que tem um número. Ao clicar sobre essa bolinha, a pessoa leitora (dona ou não do projeto) será direcionada ao respectivo comentário.

Também é possível excluir ou editar um comentário quantas vezes por necessário — o que para o UX writer é muito interessante, pois podemos mudar de ideia sobre uma proposição ou até passar a compreender um fluxo de maneira diferente, precisando retornar para fazer alterações em nossas propostas.

Outras pessoas envolvidas no projeto também podem responder o comentário logo abaixo, criando uma thread. É possível, ainda, marcar outras pessoas que possuam perfil no sistema, marcando-as com o “@” mais o nome de login.

4. Hypothes.is

O Hypothes.is é um plugin que, após instalado, fica ativo e inativo com um simples clique sobre o ícone que aparece na barra de tarefas da tela. Ao ativá-lo, é possível comentar em qualquer tela que esteja aberta.

Assim, como o Marvel, este software permite fazer comentários, editá-los e excluí-los com facilidade. Quando há comentários, o ícone mostra o número de comentários feitos.

Também é possível escolher entre deixar os comentários públicos, de forma que qualquer pessoa com um link possa visualizá-los. Ou deixar privados criando um grupo, ao qual somente pessoas inscritas terão acesso. É simples, fácil e gratuito.

Como aparecem os feedbacks do Hypothes.is, comentários abrem ao lado da tela

Bom pessoas, essas são as ferramentas que eu uso no meu dia a dia.. E vocês? O que têm usado para dar feedback de UX Writing? Me contem! Valeu.

Ludmila Rocha

Written by

UX Writer @ Conta Azul