O sol caçoa de nós

A chuva que caía sobre nossos rostos lavou o fingimento de nós. Tímidos, esquecemos de ser sinceros com palavras. Mas olhares não mentem, gestos não enganam e toques revelam intenções. Estamos sentados observando o lago, desconfiando do futuro; cada um por suas razões. O tempo nublado nos acompanha. Atrás das nuvens, o sol parece caçoar de nós. Não faz mal, prefiro o tempo deste jeito; poético, melancólico. A garoa são lágrimas que lamentam a paixão incompleta. Desistimos do chuvisco. Eu volto à realidade.