não tome partido, tome vodka

algumas pessoas têm uma mania estranha de tratar alguns assuntos como excludentes. vc não precisa desgostar de doce para curtir salgado. nem muito menos odiar o dia para curtir a noite. nem toda escolha é uma renuncia. ou pelo menos não deveria ser.

nas relações interpessoais isso fica muito claro. três amigas inseparáveis vivem juntas e em harmonia até que duas delas discutem e resolvem romper os laços. a terceira, coitada, se sente coagida a escolher um lado, como se não pudesse ser amiga das duas de forma transparente e imparcial.

funciona para casais amigos. sua amiga começa a namorar, namora por anos, quem sabe casa. vc se apega ao casal, claro que se apega. deseja que eles sejam felizes pois acredita que juntos funcionam bem. acho incrível. o que não acho legal é vc não saber identificar que são duas pessoas distintas e que a união deles não depende da sua vontade. e que sua amiga pode ser incrível com vc, mas pode, por exemplo, não ser tão incrível assim como companheira de alguém.

vamos supor que, seja lá por qual razão, eles se separem. vc pode ficar triste, pode ouvir os dois lados, ou só o lado que vc tem mais afinidade, vc pode até não ouvir ninguém e mesmo assim não acreditar que um dos lados é culpado e o outro, por exclusão, inocente. tomar um lado não faz sentido, afinal, a vida do casal não tem a ver com vc.

deixar de falar com a pessoa que vc acha que não foi tão legal assim não é algo muito maduro a se fazer. ou tentar reaproximar o casal pode ser uma atitude um tanto quanto inadequada. a vida dos dois vai seguir e se tem algo que posso te aconselhar é seguir a sua tb sem se meter no que não é da sua conta. mantendo, assim, a amizade com os dois e evitando fazer o famoso leva e traz entre eles. é feio, é imaturo, não faz sentido. o dollynho me contou que vc pode SIM manter a amizade imparcial com os dois.

o legal da vida adulta é que, além de manter uma amizade saudável com dois amigos que já foram um casal um dia, vc também pode manter uma convivência saudável com possíveis novos companheiros dos dois. afinal, a ideia é que ambos toquem suas vidas e um dos dois, ou os dois (ou nenhum, sei lá) pode querer se relacionar com outra pessoa.

esta nova pessoa tem muito menos a ver com a vida do ex-casal que vc. e vc, olha que sensacional, pode ser amiga da nova pessoa sim. vc pode encontrar pontos em comum com a nova pessoa, vc pode ter gostos musicais parecidos, ou pode curtir o mesmo estilo de moda, ou tb pode não ter nada em comum, mas só mesmo achar a pessoa legal. e tem ainda o ponto bem inusitado que vai te surpreender: vc não precisa gostar da pessoa que um dos seus amigos resolveu namorar, mas pode respeitá-la mesmo assim, respeitando por consequência a decisão do seu amigo.

não é demais, gente? eu amo a vida adulta por isso. pq podemos ser racionais. podemos simplesmente cuidar do que nos cabe e deixar que o outro cuide do que cabe a ele. e ter uma convivência harmônica mesmo assim. não temos que tomar partido, sabe? a vida não é maniqueísta, meus caros. se for para tomar alguma coisa, que seja vodka!

saúde!!!