Derrota da carne

No fim da carreira,

Queimando, me joguei nos seus braços

Para uma trip de duas horas

Bauman latindo na minha cabeça


Mais líquido que você

Foi a cachaça arranhando a minha garganta

Quando eu engoli tudo que tinha para dizer

Bauman se orgulhando da minha mentira


A disritmia é toda minha

Durmo com a carta XV na minha mão

Pedindo para que o diabo que conte uma anedota

Bauman questionando minha insistência


Vou queimar esse cobertor

Para, com o cosmos, deixar de sonhar com você

E aquilo que não consegui viver

Bauman procurando um novo conceito