Hoje me dei conta que como dizia o poeta, viver não permite ensaios. A vida não tem fórmula nem script. E é tão curta. Cada um faz o que bem entende da sua própria vida. E eu perdi esse tempo todo sofrendo por bobagens, sentindo sempre com intensidade, reparando, me moldando pro outro. O bonito mesmo é sorrir, é gostar, é ser extremamente feliz sem ligar pra absolutamente nada. Nada mais importa. Eu devia mesmo estar rindo agora. Gargalhando a dádiva que é estar viva, inteira, com os meus pais, com inteligência, saúde e capacidade de aprender. Eu não me canso de refletir. E só agora me dei conta que eu devo viver o momento presente. Me faz bem? Faz. Se não faz… Sai fora!! Felizmente ainda há tempo. Não é tarde demais.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.