O Ciclo do Sofrimento

O que é o sofrimento para você? Bem, abrangendo o assunto podemos listar várias coisas que se encaixam nessa descrição.

Se formos parar para pensar de uma forma generalista, partindo da universalidade para o individual, percebemos que o sofrimento humano é causado, prioritariamente pelo Desejo. Exatamente, o desejo ou ânsia de querer algo nos gera sofrimento. Esse sentimento pode ser impulsionador para alcançar algum objetivo ou conquista, mas essas metas são apenas estágios definidos pelo indivíduo como meio para chegar a algo e saciar o seu desejo.

Agora, apresentarei o “Ciclo do Sofrimento”, que descreve como o desejo nos gera infelicidade. Acompanhe:

Caso 1°: O indivíduo tem o desejo, mas não consegue sacia-lo. Logo o movimento causado pelo desejo não é retornado em forma de recompensa, e há frustração.

Caso 2°: O indivíduo tem o desejo, e alcança o que queria (objetivos, metas…), porém quando há a satisfação por ter conseguido saciar o desejo, logo a recompensa se torna obsoleta, e a pessoa passa a desvalorizar o objeto de desejo gradualmente conforme usufrui dele. Com isso, vai buscar novas possibilidades para saciar um novo desejo que surgiu pelo anterior não ser mais suficiente, o que pode acarretar em um novo ciclo.

Caso 3°: O indivíduo deseja algo, e mesmo estando ciente de sua incapacidade em realizar o tal desejo, continua insistindo. É um esforço desperdiçado de forma continua e persistente. É como se a pessoa fizesse a mesma coisa sempre, esperando os mesmos resultados, mesmo não os obtendo. (Podemos dar o exemplo do Amor Platônico) *

Esse é um ciclo composto de 3 etapas. Resolvi chamar de “Ciclo”, pois o desejo é algo intrínseco ao ser humano, e as etapas descritas são inevitáveis, e repetitivas em várias ocasiões, o que leva à um ciclo sem fim de desejo e infelicidade, que se repete durante toda nossa vida.

“Eu posso rejeitar a Felicidade, porque a Tristeza vem com ela” — Was Ich Liebe [Rammstein].

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.