Empreender de Fato — Fôlego

Muitos negócios aparentemente prósperos e com potencial de crescimento fecham suas portas precocemente devido à falta “fôlego” financeiro.

Em alguns casos, isso acontece devido ao mau dimensionamento do capital a ser investido no empreendimento.

O capital investido pode ser separado de duas formas:

1. Capital inicial: montante investido para colocar o negócio em funcionamento: a reforma, os móveis e a decoração do ponto, equipamentos, estoque inicial, criação da logomarca, montagem do site, plataformas de divulgação, veículos, etc.

2. Capital de giro: montante reservado para cobrir os gastos do dia a dia da empresa, como as despesas fixas e os custos variáveis da operação.

A falha mais comum é iniciar a operação apenas com o capital inicial, sem se preocupar com a reserva para o capital de giro, prevendo que o próprio negócio dará conta dele. Isso é bastante arriscado!

Empresas maduras e já consolidadas costumam gerar capital de giro com o próprio lucro do negócio, porém empresas recém-abertas dificilmente conseguem obter resultados positivos suficientes para cobrir todos os gastos. É essencial que haja uma reserva separada para esse suporte.

Não há um padrão ou regra para se dimensionar o capital de giro, pois depende muito do tipo de negócio, mas sugiro uma reserva mínima que cubra pelo menos 06 meses de despesas fixas da empresa.

Importante também estar com as finanças pessoais preparadas, pois dificilmente o empresário conseguirá obter um rendimento pessoal razoável nos primeiros meses. Por isso, sugiro também que haja uma reserva para arcar com suas despesas pessoais pelo menos nos primeiros 06 meses.

Repare que em nenhum momento mencionei a utilização de empréstimos ou financiamentos. Sou adepto da utilização do capital próprio. Apelar para bancos e semelhantes somente em casos emergenciais.

Se você está pensando em montar um negócio e ainda não está capitalizado o suficiente para arcar com o capital inicial, de giro e para cobrir despesas pessoais nos primeiros 06 meses, sugiro controlar a ansiedade, esperar mais um tempo e poupar mais.

Caso não tenha escolha, esteja desempregado e a única opção seja empreender, opte por negócios de baixo investimento e extremamente enxutos, ou seja, com despesas fixas mínimas. Além disso, tente reduzir seu padrão de vida pessoal ao máximo. Isso ajuda a diminuir o risco.

Espero ter ajudado!

Muito obrigado!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.