Sobre escrever de segunda…

Enquanto a sexta feira acaba mais cedo para dar espaço aos prazeres de sábados e domingos, a segunda feira chega cedo. Às vezes com o cair do sol, outras com a música do fantástico. Depende se é domingo de praia ou de ressaca. A segunda, no entanto, é sempre o dia mais longo. É o único dia da semana com duas noites, uma antes e outra depois. Segunda não é dia de pouco, é sempre dia de muito. Sempre dia de começo. É o dia de olhar a agenda e pensar que a quarta feira da última semana do último ano de agosto não é assim algo tão ruim de engolir.

Segunda feira pra mim sempre foi dia de folga das palavras. Dia de termos mais corporativos. Dia de lição de casa de matemática. Eu não tenho certeza disso, mas acho que a vida inteira a primeira aula da escola na segunda feira era matemática. Pra mim segunda feira e aula de matemática combinam perfeitamente, ambas são úteis, ambas me causam a mesma mistura de fascínio e ódio. Sim, ódio puro e sem nuances. Ódio direto como soma, sem divisão e talvez um pouco multiplicado.

Escrever de segunda feira é quase um desrespeito com a boemia que tempera os bons textos. É o começar do livro que a gente não sabe muito bem pra onde vai. Escrever de segunda feira tá mais pra mineração do que pintura. É sempre meio sujo escrever com a cabeça limpa. Escrever de segunda é bater de pá no chão com um mapinha velho e sujo da semana passada de onde estão as palavras, as ideias, as vírgulas e tudo mais que a gente precisa para começar a construção da casa. Todo texto de segunda é pesado, é casa construída no tijolo baiano. Nada de drywall, nada de aliteração, de ritmo, nada de nada. Escrever de segunda feira, pra quem escreve toda segunda feira, é trabalho. Escrever só vira arte às terças que é quando a segunda acaba e a gente tá tão cansado de empilhar coisa em cima de coisa na página que a gente lembra que até quem escreve bula de remédio pode ser artista aos sábados, então a gente, que escreve todo tipo de bula sobre a vida, o amor, o desamor, o tempo e tudo mais, pode ser artista antes que chegue a quarta feira para nos lembrar que o sábado está tão longe.

Dica: Sempre que possível escreva no domingo, revise na segunda.