Meu Diário no Vale do Silício – último dia útil

O dia de hoje foi marcado pela agenda mais intensa de visitas, começando por uma reunião na Singularity University, depois pela sede do Google, na Santa Clara University ao GSBI – Global Social Benefit Institute e terminando na sede do Facebook.

Pisar na Singularity já é surreal. Pisar numa base da NASA é animal. Prédios da década de 30, auge da 2a Guerra Mundial, abrigam o que há mais de ponta em tecnologia no mundo. Tiver uma visão geral da SU, desde o conceito que a originou e pra isso basta ler dois de seus fundadores, Peter Diamonds com seu livro Abundance e Ray Kurzweil e o The Singularity is Near. Daqui está saindo todo o pensamento sobre as tecnologias e as organizações exponenciais. Se você acha que tudo está acelerado demais, prepare-se, porque só vai piorar. Nossas instituições, sejam elas de qualquer setor, nós seres humanos, enfrentaremos ciclos de mudanças cada vez mais disruptivas. Só para se ter uma ideia, vi um dado de 2015 que relata a abertura de 5 mil empresas somente nos EUA. Mas o futuro da tecnologia segundo a crença da Singularity é a de busca pelo propósito transformador massivo, logo, viveremos a era da competição por propósito, e isto está puxando a criação de centenas de empresas aqui no Vale.

Em seguida no Google tive outro sinal, nossas estruturas empresariais estão anos luz deles. Infelizmente não pude visitar dentro da empresa e ver produtos ou serviços, mas por fora e falando com pessoas você tem uma mega noção. Salas de reuniões fora do prédio, você levar o seu cachorro ou toda a família para um dia de trabalho é algo natural, isso sem falar no estacionamento repleto de vagas para você estacionar o seu carro híbrido e ainda deixá-lo recarregando durante o dia. O setor de telecom sofrerá um mega impacto, pois criaram nos EUA uma MVNO, modelo de operadora de telefonica recém-chegado ao Brasil, mas com seu sistema Android você raramente ficará sem acesso, pois a operadora do Google usa a infra da T-Mobile, Verizon e Sprint em redundância. Claro, a empresa paga o acesso para as operadoras, mas a base de clientes não pertence as Telecoms. O ponto ruim disso é que você está limitado somente a um aparelho e com um único sistema operacional, talvez por isso ela ainda não tenha decolado.

Outra coisa é que a empresa está num patamar que lhe permite testar rápido 3 ou 4 modelos de negócio, checar e descartar os piores em rentabilidade para a empresa. Ou seja, eles arriscam, testam, erram e tomam decisões muito rápido.

Na sequência estive na Santa Clara University conversando no GSBI e estou impressionado com as inovações sociais no mundo. Se tem alguém para se ter como referência são eles. Vi exemplos de projetos como um carregador solar para aparelhos de surdez, feitos adivinha onde? Sim, no Brasil. Mas eu ainda não pelo país, ao retornar tenho que procurar. Eles têm desenvolvido projetos como este na África, México e países da América Central. A visão do GSBI sobre ponto de convergência entre a medição de resultados do negócio e de impacto social me pareceu fantástico. Há também uma percepção deles, a de que as empresas de tecnologia deveriam incluir KPIs para medir e observar o impacto social de seus negócios.

Pra fechar o dia estive na sede do Facebook. Simplesmente encantadora. Vi coisas parecidas com o Google, como áreas no estacionamento para carros movidos a energia elétrica e você deixá-lo carregando enquanto trabalha. No Face você tem um formato de uma vila para trás dos prédios. Por lá muitos restaurantes das mais diversas culinárias e em sua grande maioria gratuitos, lojinha de produtos com as marcas do Facebook, Instagram, Internet.org e um salão máquinas de fliperamas.

Olhando para os ambientes do Google e do Facebook chego a conclusão de que as empresas brasileiras estão atrasadas em pelo menos 20 anos. Ambos entenderam que você passa mais tempo no trabalho do que com sua família, em sua casa, por isso, tentam transportar o ambiente da sua casa para um grande local coletivo, onde você pode jantar com sua família, dar uma volta com seu cachorro durante o dia, ou seja, vida pessoal e profissional se torna uma só, porque você é uma pessoa única. Não é à toa que se transformaram em empresas desejadas e adoradas. São elementos simples, mas que fazem uma grande diferença na criação de uma cultura organizacional poderosa e estimulante para as pessoas.

NASA Center, local da Singularity University
Aqui é um galpão de Zepellin, hoje alugado para eventos
Singularity University
Google Tech Corner
Contrate um personal e use o estacionamento para as aulas
Horta comunitária
Quem falou que bocha é esporte de velhos?
Sala de reuniões ao ar livre
No Google você pode levar seu cachorro
Vagas para carros elétricos
Edifício onde fica a alta cúpula do Google
Santa Clara University
Miller Center é o local do GSBI
Escritório do GSBI
Carregador solar para aparelhos auditivos
Edifício coloridos
Na recepção você também se auto atende e quem você está visitando recebe uma mensagem da sua chegada
Espaço maker no Facebook
Mapa de localização fica no chão
No piso está escrito em preto Hacker
Edifício onde está o time do Instagram
Há pouco tempo atrás o Zuckerberg ficava aqui
Hamburgueria e ao lado a sala de Games e Fliperama