lucid dream

bebiam cerveja no bar e conversavam sobre essas coisas que acontecem pela noite: beijos, encheções de cara, drogas, traições. conversavam sobre isso, sobre a vida, sobre o trabalho. uma conversa engatilhada na outra, uma mão na outra, um olhar de conforto e a sensação de tranquilidade. pagaram suas contas e saíram pela rua abraçados e bêbados. o clima era literalmente agradável, tão agradável que decidiram seguir juntos pelo resto da noite. conversas e mais conversas, uma música tranquila, um baseado, um abraço, um beijo e a sensação de que o abraço do outro era o melhor lugar do mundo naquele momento. dormiram juntos, vestidos, abraçados. acordaram sorrindo. ela voltou para a casa em uma nuvem.

abriu os olhos com a luz do sol que entrava pelas frestas das venezianas e percebeu que nada daquilo havia acontecido, mas sentia uma saudade que apertava o peito e se perguntava “pra onde que vai todo esse sentimento?”

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.