Por que o coach se popularizou

Eu ouço falar de coach já faz um tempo mas apenas no ano passado que eu percebi essa intensa popularização da “profissão”. Após uma coach e advogada ser uma personagem-chave na novela O Outro Lado do Paraíso, senti que começamos a falar mais sobre tal assunto.

Coach é basicamente um profissional que te ajuda a alcançar alguma meta sua, seja ela no campo pessoal ou profissional. Como é uma área muito vasta, não existe uma faculdade para coachs, cada um é coach daquilo que acredita que domina mais. Porém, existem alguns cursos que prometem te transformar em um coach e tais cursos podem ter a duração de meses até um único fim de semana. Consegue imaginar uma pessoa que fez um curso de oito horas te ajudando a “resolver” sua vida? Eu também não.

Nunca fui à um coach e nem pretendo mas pelos vídeos que tenho visto circulando na internet, o coach nada mais é do que uma pessoa que fala pra você frases motivacionais que você poderia facilmente ler em um livro de autoajuda. A diferença é que um livro de autoajuda custa 15 reais e uma sessão de coach é bem mais do que isso.

Eu tenho uma espécie e de coach há alguns anos já, só que ela é formada em psicologia, fez diversas especializações e não fica lendo frases motivacionais para mim, ela me ajuda a me entender. Essa espécie de coach tem um nome: psicólogo. Quando digo que faço terapia com uma psicóloga desde 2012 muita gente torce o nariz e me olha estranho. Mas porque?

Vamos tentar entender: um coach não tem nenhuma credibilidade nem especialização confiável para ajudar ninguém e se popularizou no Brasil. Um psicólogo passa cinco anos estudando, fazendo estágio e se especializando e muita gente ainda tem receio quanto à consultar um.

Eu sei porque: preconceito. Muita gente (muita mesmo) ainda acredita que psicólogos e psiquiatras são (pasmem!) “coisa de doido”, um atestado de que você é desequilibrado. Acredito ainda que muita gente ainda ouça a palavra “psicólogo” e tenha flashes mentais do tipo “Um Estranho no Ninho”: eletrochoque, camisa de força, sanatório. Outra visão é que o psicólogo é uma prova de que você este “errado”, os outros certos (“Tá vendo? Eu disse que ele tava errado. Ele até começou a fazer terapia”). Só me resta suspirar.

Gostaria muito de poder quebrar essas visões tão estereotipadas da psicologia e encaminhar todos os reféns de coaches para terapias. Vi outro dia um perfil de Instagram chamado algo do tipo “Coach Muda Vidas”. Coach não muda vidas. Um psicólogo sim. Eu sei porque minha psicóloga mudou a minha vida. E quando eu digo isso pra ela, a resposta é sempre a mesma: “Eu não mudei sua vida, VOCÊ mudou sua vida”.

Veja só, nunca tive uma sessão de coach mas posso te dizer agora mesmo o que ele te dirá no primeiro encontro: livre-se de suas crenças limitantes. “Suas crenças te trouxeram para o lugar que está hoje”. É tudo nesse nível. Faliu? Vou te dizer tudo que você fez de errado.

Esse é meu grande problema com a classe e a principal diferença entre coaches e psicólogos: o coach te culpa e te diz que você está numa situação ruim porque você mesmo criou isso. O psicólogo te alivia, te ajuda a recomeçar, independente de quem tenha sido a “culpa”.

Imagem: Facebook Dicas Anti-Coach

Peço aqui licença para parafrasear minha querida psicóloga, Simone: “A culpa te paralisa”. A raiva te empurra para frente, a tristeza é necessária de se sentir mas a culpa é o único sentimento que te deixa estagnado e te impede de crescer. E é justamente esse sentimento que te impede de crescer que os coaches usam para te ajudar. Só rindo mesmo.

Depois de tanto falar, vou resumir tudo bem rapidamente. A maioria dos coaches não têm formação adequada para te ajudar. Muitos são apenas projetos de youtubers e instagrammers motivacionais que vomitam autoajuda barata. Quer mudar sua vida e se entender? Vá a um psicólogo. Quer organizar suas finanças? Peça ajuda de uma pessoa formada em economia. Quer emagrecer? Vá a um nutricionista. Um coach pode ser mais barato mas é da sua VIDA que estamos falando e o barato sai caro. Não brinque com sua felicidade.

Ah, mais uma coisa: perdão pela quantidade de aspas no texto mas elas foram necessárias devido ao assunto.