Dinheiro é muito bom

Eu fui criado numa família cristã de classe média. Parece clichê mas não é. Família cristã, mas espírita. Classe média mas sempre com muito trabalho. Tenho avós e tios também de classe média mas com muito mais dinheiro e patrimônio do que meus pais. Também tenho tios com muito menos dinheiro que meus pais. Então eu posso dizer que conheço um espectro bem amplo de níveis de riqueza.

E durante minha educação eu ouvi várias vezes que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus. Também ouvi bastante que não se pode servir a Deus a Mammon. Minha educação cristã se encarregou de, praticamente, demonizar o dinheiro para mim. Também não tive nenhuma educação financeira e nunca soube muito bem o que fazer com o dinheiro que ganhava.

Meus avós mais abastados me davam dinheiro de presente de aniversário, dia das crianças e de natal. Eu ansiava por aquele dinheiro e ficava dias pesando todas as possibilidades que aquele dinheiro me daria. Quantos sorvetes eu poderia tomar, quantos jogos de super nintendo eu poderia comprar, quantos livros, quantas coisas... Eu gostava desse sentimento de liberdade de poder escolher fazer o que fazer com aquele dinheiro.

Não sei exatamente em que ponto da minha vida esse sentimento de liberdade virou ressentimento. Eu comecei a acreditar que o dinheiro era o maior mal do mundo. Que tudo de errado no mundo acontece por causa do dinheiro. E toda a mídia nos leva a crer que apenas as pessoas ruins tem dinheiro. Políticos corruptos, novelas onde o ricaço é o vilão sempre querendo aumentar seus lucros. Sempre tem alguém disposto a fazer qualquer coisa para ficar rico e isso sempre é mostrado de forma negativa.

Não me entendam mal, lucro e enriquecimento a qualquer custo é errado. Mas a culpa disso tudo não é do dinheiro. É de como as pessoas usam e abusam do dinheiro. Grandes empresas abusam de seu grande capital para comprar políticos para ter cada vez mais lucros. Seja através de uma lei trabalhista mais "flexível" ou através de contratos ilícitos com o governo. Na outra ponta temos as pessoas que não sabem usar o dinheiro e, por isso, são usadas por ele. Tantos os trabalhadores que conseguem ganhar muito dinheiro quanto os pobres que se vendem por muito pouco.

Nesse contexto é fácil entender que o vilão é o dinheiro. Novelas, filmes, livros e jornais nos empurram a essa conclusão todos os dias. E ainda temos as igrejas e as religiões que pregam um estado de pureza impossível de ser alcançado. "O dinheiro é ruim, por isso doe tudo para a igreja".

Por isso nesse ano eu quero mudar minha relação com o dinheiro. Dinheiro é muito bom! Dinheiro compra viagens, comida, casa, roupas e muitos objetos, mas não deveria comprar pessoas. Dinheiro deveria nos dar liberdade de escolha, mas nos acorrentamos a ele e perdemos a razão quando ele nos falta. Devemos usar o dinheiro ao invés de sermos usados por ele. Também não podemos abusar do dinheiro e usar a fraqueza alheia em proveito próprio. Devemos ter uma atitude positiva em relação ao dinheiro. Enquanto tivermos esse ressentimento e acharmos que o dinheiro faz aflorar o pior em nós, inconscientemente nos afastaremos dele.

Ter dinheiro pode nos mostrar como somos caridosos, nos mostrar novos caminhos na vida. Fazer aquela viagem com a família, mostrar aos filhos a diversidade de culturas e povos que existem nesse planeta. Ter sua casa, um lar seguro e aconchegante, um lugar onde você se sinta bem, confortável e feliz para ser quem você é de verdade. Troque os pensamentos negativos pelos positivos. Dinheiro traz felicidade? Claro que não, mas com certeza nos deixa muito próximos dela. Dinheiro traz liberdade e possibilidade. Toda vez que se pegar tendo pensamentos negativos sobre o dinheiro troque imediatamente por um pensamento positivo e logo estará vivendo em paz com o dinheiro.