Realidade

Era uma sexta-feira, 23h45 e eu estava na Praça da República esperando meu ônibus e estranhamente o movimento de pessoas era enorme, me peguei pensando: Será que teve algum evento de rua? Desisti de achar uma resposta e comecei a observar todos os humanos mundanos a minha volta.

Sorri ao perceber que as travestis estavam comandando o som em que a orquestra tocava, pararam o trânsito para desfilarem lindas até a 7 de Abril. Houve um corajoso que businou, a réplica foi: VAI FAZER O QUE HEIN VIADO?! A tréplica foi o silêncio de um covarde.

Minha atenção logo se voltou a duas jovens meninas que decidiram fazer carreiras de cocaína em seus celulares, essa cena liberou dentro de mim um velho conservador e logo me levou a pensar: Como podem fazer isso aqui?! Santa é a falta de respeito destas pessoas! Cadê a porra do meu ônibus?

O aplicativo me informou que ainda faltam 7 minutos para o ônibus passar! Infelizmente o tempo não passava e o medo começou a crescer dentro de mim. Medo dos caras de bicicleta levarem meu celular, medo de me oferecem droga, medo do metrô fechar e o busão não passar.

Fui despertado por uma gritaria, tudo aconteceu porquê um homem decidiu que seria adequado tirar o pau para fora e urinar no meio de todos. Segue a troca de amores:

- O viado, você acha que isso tá certo?! Tá cheio de mulher e criança aqui em volta, guarda esse pau!
- Não vejo nenhuma criança aqui caralho, agora que já comecei vou terminar! Cuida da sua vida
cuzão.
- Eu deveria te dar uns tapas para você criar vergonha na sua cara.
- Vai a merda que eu já acabei, vai tomar no cu.

Olhei para frente avistei um bêbado, invejei por 3 segundos a felicidade em que ele estava, o contraste entre eu e ele era gigante! Ele rindo e sorrindo para todos e eu contanto os segundos para entrar em uma caixa de metal. Falando nesta caixa, que aqui chamamos de busão, ele chegou.

Tchau.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.