Retardado

De pequeno, estranham minha estranheza

O guri da praia

Que dela nada tinha

Nada dela tem.

Queria ser…

Com os olhos perdidos nas estrelas.

Queria ser…

Sentindo o vento tocar a pele

Como quem abraça.

Queria ser…

Observando os galhos balançarem

E as folhas caírem.

Queria ser…

Sem saber o que.

Hoje, homem feito

Ainda quero ser

Mas, continuo sendo apenas escravo do meu pensar

Amante traído das estrelas

Ser de ações retardadas

E almas ambíguas

Escrevo estes versos procurando respostas,

Sinto-me traído pela natureza

A quem dedico com prazer o meu pensar e sentir

E sou isso:

Um masoquista

Dominado pela natureza e as palavras.

As palavras, que são minh’ única verdade,

Natureza do que sou

Folhas e árvores,

Tanto quanto são eu

Ainda assim,

Penso que quero ser

Algo apenas que não seja Eu.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.