‘‘A Guilda Fênix” 1

O despertar do poder

Era um dia comum,com pessoas comuns na estranha cidade de Nirev, uma cidade conhecida por “espetáculos” sobrenaturais e eventos de outro mundo, os rumores e as aparições fantasmagóricas sempre chamaram a atenção de vários turistas e do próprio povo que ali morava, mas lá na cidade não era tudo um mar de rosas, também havia espíritos malévolos e brincalhões que sempre se divertiam com a desgraça dos outros porém, isso estava prestes a mudar.

Nessa mesma cidade vivia o pequeno médium, chamado Carlos,o garoto de apenas 14 anos,olhos castanhos,cabelos pretos e de franja, signo de sagitário, já viu de tudo relacionado a espíritos bons e maus,mas isso foi o inicio. Em mais uma noite de ruas cheias de espíritos e humanos,um espirito corrompido pelo escuro chamado de “obsessor”,bastante conhecido por seus atos de tortura por “paralisia do sono”, havia achado uma nova vitima, Carlos,durante o sono de Carlos em seu leito, erguendo a mão em direção a ele, o paralisou e começou a torturar sua mente, seu corpo e sua alma.

-Olá jovem,consegue me ver?

-…

- Ah, por um momento eu esqueci que você não pode falar e nem se mover e agora você é minha marionete.

E, dá-se início ao show de horrores,visões malditas,dores no corpo e vozes do além era umas das “brincadeiras” naquele instante. Mas, Carlos estava prestes a mudar o jogo.

-Eu…vou…destruir…você!

-Hahahahahaha,como se você não pode se mover?

-Cala…a…boca.

-O que disse?

-CALA A BOCA!

E com uma força descomunal, seu espírito se levanta da cama e com um ataque, lança o obsessor contra a parede com tamanha força que chegou a trincar a mesma.

-Eu disse que ia destruir você, otário.

E então começou a luta, ambos trocavam socos e chutes, mas quem se saía melhor era Carlos, fazendo uma mistura de Taekwondo com box, uma série de chutes, uma série de socos e então o obsessor vai ao chão. Reerguendo-se após uma humilhante derrota, ele ousa ameaçar Carlos.

-Isso vai ter volta seu filha da puta.

Então, ele sai pela varanda da casa de Carlos, como vento e Carlos começa a refletir sobre o que aconteceu nesta noite.

-Eu sai do meu corpo e consegui controlar minha própria alma, e ainda bati de frente com um espírito corrompido… Isso foi até divertido, mas será que posso fazer isso novamente?

Carlos dormiu com essa dúvida e pensando no que mais seria capaz de fazer.

O nascer das chamas

Mais um dia clareia na cidade de Nirev e Carlos continua com as mesmas dúvidas da noite passada, pensando no que mais poderia fazer com tal habilidade, era para ser um dia normal para o jovem médium. Bem, era para ser…

Na sua volta para a escola, ele sente uma presença de um espírito malévolo e uma energia pesada ao seu lado, ele se concentra para dividir-se em corpo e alma mais uma vez, depois de muito tentar,ele consegue com êxito e, bizarramente, seu corpo continua a andar como se não tivesse acontecido nada, mas sua alma estava sobre controle,com um berserker gigante bem atrás dele e que não hesita em atacar Carlos;o jovem desvia do ataque como uma mosca que desvia de um golpe.

-Garoto,permita-me tirar a sua vida para assim eu conquistar o meu prêmio.

-O que? Estão oferecendo uma boa grana pela minha cabeça?

-Mais do que isso, um tal de “obsessor” está oferecendo uma chance de renascer em uma condição muito melhor do que a vida passada, sem miséria, sem sofrimento, apenas o luxo da fortuna e da boa vida, sem esforço.

-E você acreditou nesse babaca?

-Humm, sendo verdade ou não, eu preciso de alguém para descontar a minha fúria… E VOCÊ É O ALVO MAIS PRÓXIMO!

Então inicia-se a luta,o berserker desferia golpes lentos porém fortes, já Carlos era rápido porém, seus golpes não eram tão fortes assim, a luta seguia e Carlos tomava a vantagem, mas então, o berserker golpeia o chão com tamanha força que joga Carlos para longe o debilitando muito.

-Agora não tem mais escapatória garoto,MORRA!

Carlos recebe uma série de golpes sem poder fazer nada e consequentemente, vem a falecer.

-Pronto, missão completa, é hora do premio, hahahahahaha.

No mesmo momento em que a alma de Carlos falece, o corpo de Carlos também não resiste e sucumbe a escuridão, mas sua alma teve uma nova chance. Carlos acorda em uma caverna escura e com um pequeno córrego que levava a uma saída.

-Onde…estou? Eu…morri…mesmo?

-Siga a luz!

-O que?

-Siga a luz, nobre guerreiro!

-Bom, não tenho outra escolha.

Então ele segue a luz no fim da caverna, cansado, mas se recuperando aos poucos, até que ele chega no fim e se depara com algo magnífico, uma FÊNIX.

-Carlos, você demostrou extrema coragem contra o “obsessor” e o berserker, você é digno de ser nomeado como um guerreiro poderoso.

-Só por que eu me defendi?

-Não, mas porque você fez algo que poucos fariam, você tem um senso de justiça alto e um potencial grande para fazer o bem para todos.

-Mas, de que adianta você falar tudo isso se eu estou morto?

-Você não morreu, mas seu corpo corre risco de morrer, estamos apenas em uma dimensão que eu criei para dialogarmos.

-O que você quer comigo?

-Volte para sua terra e cobre sua vingança.

-Mas, como se eu estou morto?

-Simplesmente, assim.

Então, a fênix toma a forma de uma esbelta dama e o beija sem demora, mas com o beijo a fênix dava os poderes do fogo para Carlos,quando Carlos já estava com 100% de poder da fênix, ela parou e disse:

-Agora volte lá…Fênix.

Carlos agora não carregava consigo apenas o nome de fênix, carregava também o poder dela e a chance de voltar do mortos.

Após voltar da outra dimensão, ele foi coberto por fortíssimas chamas que rodeavam o seu corpo, o berserker assistia o show de luzes de longe e ficava assustado pensando o que poderia ser aquela luz.

Em questão de minutos, o berserker é surpreendido por um golpe inesperado de Fênix que o arremessa para longe.

-Berserker, você é um mercenário e não um guerreiro!
 Em seguida, desfere outro golpe no berserker com os punhos em chamas e que também o arremessa para longe.

-Vou lhe mostrar como um guerreiro de verdade luta.

Então se inicia outra batalha, mas desta vez Fênix estava mais rápido e mais forte do que antes, então, o berserker é arremessado aos ares com extrema força e Fênix sobe aos ares também para finalizá-lo. Enquanto subia para matá-lo, sua roupa havia sido incinerada, dando lugar a um sobretudo de cinzas de fênix, que é mais resistente que qualquer aço conhecido, uma espada que era nada mais, nada menos do que a lendária EXCALIBUR.

-MORRA BERSERKER!

Com um grito ele corta ao meio o corpo do berserker, que se desfaz em poucos segundos, ele retorna ao chão vitorioso e contente. Vários espíritos assistiram tudo aquilo imóveis de medo.

Fênix crava sua excalibur no chão.

-Espíritos que aqui vivem, não temam mais os atos de vandalismo e crueldade de espíritos malévolos que os assombram, eu estarei aqui para protegê-los, EU SOU FÊNIX, AS CHAMAS DO AMANHÃ!

Fim do ato 1

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.