20 e poucos…

Quando eu fui criança, sempre quis ser adulto, eu sei, você também. Parece até clichê, mas é verdade. Acho até, que as crianças de hoje não pensam tanto quanto a gente pensava, a tecnologia está bem legal pra eles, entretendo de todas as formas. Eu sempre andei com a galera mais velha que eu, sempre era o mais novo da roda, e isso me fez pensar como eles, agir como ele e querer ser como eles. Acho que isso ajudou, mas também me tirou um pouco da ingenuidade.

Daí você vai crescendo, levando todo dia um “7 x 1” da vida, tendo que mudar algumas atitudes, os filmes de animação já não tem mais graça, queremos drama, ação e até o romance, é tiro atrás de tiro e num mundo onde você nunca esteve, vira real, e não tem como mudar. As responsabilidades crescem, a cobrança vem junto, as dúvidas da carreira profissional invadem e tomam conta. É hora de crescer!

Tenho a ideia de que esse “crescimento” sempre foi imposto desde a infância, quando agíamos com inocência e diversão éramos taxados como infantis e imaturos, o que na verdade, de fato éramos, ouvíamos sempre que “já está grande demais pra isso”, “cresce, menino”, “isso não tem mais graça”.

No fim da adolescência, a gente já tem uma ideia do que nos espera, mas não temos dimensão do que vem por aí, e então, chegamos na fase em que mais esperamos, e ao mesmo tempo não queremos, e acontece, crescemos. Criamos nossas responsabilidades, enfrentamos nossos desafios e seguimos na busca dos sonhos (que não são mais os da adolescência).

Na fase dos 20 e poucos anos eu tenho vivido um divisor de águas, que tem me ensinando muito sobre a vida. Nem tudo vai ser eterno, afinal, nada na TERRA é eterno. Isso é o que a gente aprende, e tenta lidar. Amigos se vão, amigos vem, emprego é necessidade, faculdade é uma escolha (nem sempre) e nos vemos no mundo. O mundo real que sempre existiu, mas não o conhecíamos.

Lidar com isso é o desafio que eu tenho. O tempo é fiel, não enrola. E é até legal toda essa mudança, a gente cresce, cria novos hábitos, se espanta com o fato de ter que dormir cedo pra no outro dia levantarmos pro trabalho, temos assuntos com “Gerente do Banco”, usamos mais o nosso CPF, lidamos com semanas de provas junto com cobranças profissionais, poupamos dinheiro. A vida é assim, ação. Precisamos protagonizar da melhor forma possível.

E seguir.