pra você, mãe.

A gente sempre cria um estereótipo pra tudo, o que é legal, mas mãe, eu acho que já passou disso, é coisa que realmente a gente não explica, e dentro desse “estereótipo”, existe uma gama imensa de mães. Tem a mãe que é dona de casa, tem a que não é, tem a que é pai, tem a que é irmã, tem a que é amiga, sempre tem mãe.

To longe de entender o ser “mãe”, até vocês não se entendem, mas hoje, esse texto é exclusivo pra você, mãe. Solange da Silva Jorge, aquela que todo mundo conhece, e conhece mesmo, você é a mesma com todos, e conviver contigo, nem que seja por cinco minutos já te faz essencial.

Quero nem escrever muito porque não tenho(ainda) organização com assuntos, mas escrever pra ti é importante. Você é uma mãe que faz de TUDO pra ver a nossa felicidade, é tomada por uma sabedoria indiscutível, talvez esse seja o dom das mães.

Mãe, mesmo com toda a sua força e as vezes deixar a fragilidade de lado, você já esteve frágil, e eu já presenciei momentos assim, lembra quando você perdeu uma grande amiga, e veio pela rua chorando sem parar? O meu ombro naquele dia foi uma singela forma de devolver todo amor que já recebi. Lembra no dia que você chegou exausta em casa por passar o dia inteiro com meu tio no hospital e não suportou e chorou no sofá? Enxugar tuas lágrimas foi só uma demonstração do amor que eu sinto por você. É muito difícil te ver frágil, você não tem tempo pra isso – rs.

Eu só quero te dizer que de todas as pessoas que tenho e terei em minha vida, você é essencial, simples assim, se tudo se for um dia, ter você já me basta.

Parabéns por ser mãe, por ser forte e por ser sábia. É assim que me sinto forte.

Te amo.

Like what you read? Give Luiz Gustavo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.