O "Fator Deus" não é um problema político somente do Oriente Médio e dos Estados Unidos. No Brasil, a religião tornou-se uma importante peça no quebra-cabeça político. Há um grupo de deputados que se autodenominaram "Bancada Evangélica", defensores dos interesses dos protestantes. Mas, nenhum crente no Brasil solicitou por tal representação — claro, a não ser os que possuem interesses e os de mentes fracas que sucumbiram à dirstorção do sermão "A Minha Pátria para Cristo", que não continha o viés teocrático. Os deputados estão usando o "Fator Deus" para se projetarem politicamente.
De volta à Idade Média
Cassius Gonçalves
364

O Estado precisa ser laico. Estado laico é diferente de ateu. Talvez uma grande prova do laicismo do Estado seria a revogação do benefício tributário das instituições religiosas. Elas se tornaram grandes corporações e poderiam contribuir com impostos. Mas hoje temos uma bancada cristã reacionária.

O problema não é o sujeito ter e até mesmo professar sua fé. O problema é a confusão dos interesses do povo com os interesses de organizações religiosas.