Como seria bom
Se não soubéssemos que
O Sol, um dia, nos engolirá.

Seria a vida assim tão previsível?
Poderia ser melhor do que
Ser um ser invisível a nossos olhos. Pois aí, problemas não teríamos
Ou até não, porque é necessário se reproduzir
E sentir
Mesmo que diferente
O que o outro sente
Pela gente que não-é-gente.

Poderia até despistar a dor
De ser ou de ter alguém
Que começa ou destrói o amor
Quando a mente vêm
A pensar, em amar, que nem sei
Como é ter tal pensamento
Em mente
Já que a gente
Nem mesmo é gente.

Já que a gente
Só vive de desilusão e
Sem compaixão
Com nossos corações.

Poderia até nos fazer crer que
Há mais seres pensantes
Do que imaginamos
Pois no começo, éramos bactérias
Sem mesmo ter uma matéria!
E evoluímos para pensar?

Aliás, não são todos pensantes
Os animais, ainda mais que irracionais?

Nós, eles, tudo e todos pensamos. Agimos e profetizamos
Aquilo o que queremos ou devemos
Fazer, mas
Não me deixe aqui só
Eu não consigo pensar
Me expor, assim…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.