O que é bom? #082

Responder o que é bom ou ruim não tem importância, em um sentido geral.
 Mas como temos essa necessidade de interpretar, vamos definir algumas coisas.

Primeiro como o “bom” não tem valor algum, isso nos dá uma liberdade de escolhermos o que queremos atribuir ele.
 Por exemplo uma música que me passa um sentimento bom, talvez seja horrível para outra pessoa, mas eu escutei essa música desde criança e atribuo um valor sentimental a ela.

Uma fotografia de gatinho, posso me sentir totalmente indiferente a ela ou achar muito fofo. A sua relação vai depender muito das suas opiniões e o tempo que você é exposto a ela.

O que quero dizer, é que isso acontece muito comigo em música. Tem bandas que eu escutei uma música e odiei, mas pelo contexto e me forçando a escutar eu acabo mudando minha opinião sobre a banda. Acabo me acostumando com a essa sonoridade, que antes era estranha e agora eu gosto.

Mas não necessariamente exposição vai te fazer gostar de algo. Seja por alguma opinião que você tenha que julga ter mais valor, vai acabar te impedindo de aceitar algo.

Acho que a relação de você gostar de algo é muito relativa, tem coisas que você gostava e acha esquisito hoje, ou coisas que você não gostava e hoje em dia é indiferente. Não porque você mudou ou à musica mudou, mas pelo seu contexto.

Então o “bom” só existe no contexto.

Não que isso importe muito. Porque não necessariamente fazer algo totalmente voltado para o contexto da pessoa signifique que ela vai achar isso “bom”. As vezes algo excepcional do que ela está acostumada tem uma relação boa.


Lucas Ramos estudante de Comunicação Social: Publicidade e Propaganda (5º Período), Designer Gráfico Júnior, tentando melhorar a escrita e sua saúde física.

Você pode me encontrar pelo facebook, twitter e instagram.

Like what you read? Give Lucas Ramos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.