Dilma, autoconfiança e cabresto

De uma coisa ninguém pode acusar Dilma Rousseff: falta de autoconfiança ou de cabresto.

Ela acredita mesmo que conseguirá tocar seu governo até 2018, caso o impeachment (via Congresso) ou sua cassação (via TSE) não passem?

Com o presidencialismo de coalizão sendo nosso sistema de governo, como Dilma pensa que conseguirá cooptar aliados na Câmara e no Senado para aprovar as reformas necessárias à recuperação da economia? O governo está falido, sem dinheiro nem pro cafezinho. Não há fôlego orçamentário para distribuir prebendas, promover sinecuras, subornar…

Não há nem mais as empreiteiras para achacar. Todos os empresários amigos do rei estão atrás das grades. Aqueles que ainda estão livres, leves e soltos, em breve, também estarão cara a cara com Sergio Moro. A fonte do dinheiro fácil — amealhado via extorsão na Petrobras, Eletrobras, entre outros — secou.

Ainda que passe pelo impeachment ou pela cassação, Dilma estará no comando de um país falido. Economia e laços políticos em frangalhos não permitirão que governe.

O fundo do poço tem alçapão. E ele será aberto caso Dilma fique no poder.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Leandro Vieira’s story.