O que aprendi sobre o luto
Raquel Fagundes
32

Eu tive uma experiência meio parecida. Eu perdi minha mãe há quase 10 anos (quando eu tinha 21) e meu pai recebeu o diagnóstico de Alzheimer ano passado. Nesses dois momentos eu evitei desabar na frente dos outros, dar o espetáculo, deixar que percebessem que eu estava por baixo. E aí eu recebi o tal do rótulo de "forte". Eu não ligo de as pessoas me elogiarem por escrever a respeito das minhas perdas, mas é muito esquisito que o simples fato de estar em luto desperte admiração. É até cruel, porque ao mesmo tempo em que cria a ideia de um "enlutado ideal", também separa você dos outros, quando tudo o que você quer é sentir que não está tão diferente assim. Luto é uma experiência muito complexa e desconhecida, mesmo que todo mundo vá morrer um dia. Ainda quero escrever um texto só sobre isso. Adorei o seu :)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Camila Freire’s story.