Tormenta Vermelha

Ela é tormenta
Onde passa, devasta
Cabelos flamejantes que incendeiam minha alma
Minhas mãos tremem enquanto me pede calma
Ela tem olhos que perfuram enquanto caminho pelo salão
Meu café ferve
O calor provém dela
Sua boca é um vulcão
Silhueta de anjo
Corpo sem alma
Ela nasceu da tempestade
A tempestade que se alastra
Do oceano até costa
Dentro do meu pulmão
Que se enche e transborda
Mesmo eu dizendo não
Já não respiro e nem tenho medo
De cair no seu abismo
Se distante eu fico
Paraliso e nem pisco
Eu sufoco na redenção
Me distraio em seus braços
Mesmo com a morte em meu pescoço
Ela é minha salvação

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.