Māe, estou com sono!

Existe algo melhor que dormir? Cair num sono bom e agradável, descansar corpo, mente e espirito? Eu definitivamente acho que não. E, pessoalmente costumo a dizer que “dormir anima”.

Pena é, que nas corridas do dia-à-dia, entre tarefas domésticas, cuidado com os filhos, trabalho fora de casa, marido, família, ufff.. É tanta coisa, que nos restam apenas poucas horas para disfrutar deste merecido sono, pelo período de tempo recomendado pela ciência — as famosas 8 horas mínimas — no caso para adultos, pois as crianças tem maior privilégio. Quem me dera!

Este artigo fala sobre a importância das horas de sono para os nossos tesouros, as nossas crianças.

Facto é que desde que nascem até ao início da puberdade, as crianças passam por várias fases no processo de bem dormir.

De acordo com uma pesquisa feita a um grupo multidisciplinar de profissionais, onde se incluem pediatras, psicólogos e neuro-fisiologistas, estas fases podem se dividir em 3 a saber:

0 aos 3 anos 
Logo depois do nascimento e nos meses iniciais, a rotina dos bebés se resume a mamar, dormir e brincar. Em média eles dormem de 16 a 18 horas por dia, tempo considerado muito normal, dado que eles precisam dessas horas de sono para o desenvolvimento dos neurónios e para o crescimento. À medida que o tempo vai passando, até aos 3 meses, com o desenvolvimento do sistema nervoso, as horas de sono vão diminuindo para 13 horas.

Na entrada do 4º mês, os intervalos entre uma dormida e outra vão aumentando. A criança fica mais tempo acordada e, surgem as “famosas” sonecas. As sonecas passam a acontecer na parte da manhã e da tarde, às vezes por embalo e outras bem no meio de alguma actividade (enquanto come, enquanto brinca, enquanto vê televisão).

Dos 3 aos 5 anos 
Nesta idade as necessidades de dormir reduzem para o intervalo 10 e 12 horas por noite. Algumas crianças, como foi o caso do meu filho, hoje com 8 anos, já não dorme mais à tarde, prefere ocupar-se a brincar. E não cansam meu Deus!!! Eu me perguntava sempre, onde busca tanta energia, tanta força e tanta falta de sono?!

Uma soneca durante o dia é fundamental até os 3 anos: revitaliza, relaxa e aumenta a disposição. Um estudo recente feito pela Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, mostrou que as crianças que tiram uma soneca à tarde são mais inteligentes e têm melhor memória. Isso é mesmo bom não? Agora vamos lá convencer estes pequenos piratas a dormir de tarde!

Com a entrada dos 3 anos de idade, nascem nas crianças alguns medos, inclusive do que não dava medo antes, como o escuro, “fantasminhas”, monstros dos desenhos. Como o sistema nervoso já está muito desenvolvido é comum elas terem pesadelos, o que as leva a acordar assustadas no meio da noite.

Também pode acontecer o terror noturno, mais frequente no começo da noite. Nesta situação, a criança começa a gritar aterrorizada, porém permanece meio acordada, meio dormindo, e não se lembra de nada no dia seguinte. Ambas as situações são transitórias e passam com o crescimento e não há muito que fazer, a não ser acalmar a criança no momento do desespero.

Dos 5 aos 12 anos
Mais ou menos 10 horas por noite é o ideal para crianças nesta faixa etária. E como já estão em idade escolar, o ideal é calcular a hora de dormir com base na hora de acordar. As crianças “maiorzinhas” tendem a querer ficar acordadas até mais tarde vendo TV, jogando videogames. Todas estas atividades acabam estimulando o cérebro num horário em que ele (cérebro) deveria estar mais relaxado, para que o sono venha e dificultam muitas vezes um sono tranquilo.

Nesta fase, pode aparecer o sonambulismo, o terror noturno (quando a criança acorda assustada, mas sem ter pesadelo), soníloquo (falar dormindo), bruxismo (ranger os dentes), enurese noturna (xixi na cama) e os pesadelos. Essas manifestações não costumam despertar maiores preocupações, se forem leves e esporádicas. Para situações que tendem a intensificar recomenda-se a consulta a um especialista.

Algumas dicas para um sono ideal
1. Diferenciar o dia da noite, através da introdução gradual de rotinas diferenciadas sobre como é o dia e como é a noite. Por exemplo, quando amanhece, abrir ligeiramente a cortina e deixar penetrar a luz natural do dia e o barulho do cotidiano, tudo isso contrapondo-se ao escuro e silêncio da noite.

2. Administração das mamadas, deixar mais livres as mamadas do dia, de forma que o bebê tome um volume de leite maior e, em contrapartida, diminuir aos poucos as mamadas durante a noite. Isso ajuda a dar uma organização no biorritmo natural. Aos 6 meses, com a introdução das papinhas no esquema de refeições e lanches usuais, isso se consolida e a criança começa a ter mais condições de gradativamente passar a dormir a noite inteira.

E aquela mãe que trabalha fora de casa, esteve em licença e recomeça a trabalhar?

Esta pode achar boa ideia amamentar durante a madrugada. Isso não parece uma boa ideia se considerar-se que ela também precisa de dormir bem, dada a jornada dupla! A solução menos penosa pode ser a de garantir uma mamada-ceia por volta da meia-noite e outra bem cedinho, garantindo assim, pelo menos seis horas de sono ininterruptas para ambos.

Quando a criança completa 1 ano, uma rotina ideal seria a de jantar (mamar) por volta das 20 horas e depois acordar apenas às 6 horas.

3. Ritual repetido, criar um ritual de atividades que sempre anteceda a hora de ir dormir faz a criança começar a associar esse momento ao sono. O banho, por exemplo, seguido de uma massagem ou o entoar de uma musica, o recitar de uma historia. A leitura de livros é indicada a partir dos 2 anos de idade.

4. Meia-luz, a luz pode não afetar o sono do recém-nascido, contudo, mais para frente, quando o bebê começa a ver melhor, pode ser uma fonte de estímulo e afetar a capacidade de adormecer da criança. Dessa forma, caso ela não apresente medos noturnos, recomenda-se a dormir num ambiente escuro.

5. Um amuleto, um peluche, uma almofada (Algo de estimação), quando a criança ainda é pequena, é recomendável (e muito importante para o bom desenvolvimento emocional) que ela se apegue a um paninho, travesseiro ou bichinho.

E eu que estranhava quando meu sobrinho puxava o lençol ou capulana e ficava com ela colada até que dormisse. Afinal tem explicação!

É o chamado objeto transicional. Ele cumpre a função de transição entre a realidade externa e a mente do bebê, fazendo com que, aos poucos, ele vá desenvolvendo para com este objecto, um sentimento de proteção e segurança que vem dos Pais e passa para esse objeto escolhido.

6. Hora de dormir, o ambiente e a rotina familiar interferem muito no sono das crianças. Num ambiente mais calmo, temos crianças mais calmas, e o contrário também acontece: agitação gera agitação. Esqueça as brincadeiras ou programas excitantes antes de dormir (televisão ligada, inclusive), se quiser que seu filho tenha uma noite de sono reparadora. É preciso ter um horário para dormir. E tentar ao máximo não mudar a rotina, evitando diferenciar dias de semana e finais de semana. Quando falei sobre a disciplina dos filhos já abordei isto. Toda e qualquer quebra de rotina deve ser devidamente explicada à criança para não confundí-la. E nos dias actuais, com a maratona dos xitiques familiares, temos quebrado muitas vezes estas regras.

Pais, não cometam estes erros!
Como todos os comportamentos do ser humano, o sono precisa ser ensinado ou condicionado. Criar certos hábitos pode acostumar mal a criança ou aumentar sua dependência dos pais. Lista-se a seguir os principais erros que os pais/tutores cometem quando o assunto é hora de dormir:

  • Não ter rotina
  • Deixar a criança decidir pela hora de dormir
  • Introduzir actividades agitadas
  • Habituar ao colo
  • Embalar pela casa
  • Levar para dormir na cama dos pais
  • Luz acesa
  • Deixar a TV ligada ou permitir videogames até mais tarde
  • Dar comida de madrugada
  • Irritação (criar situações negativas a hora de dormir)
  • Não estimular as sonecas diurnas sob desculpa de melhorar o sono da noite.

Mas afinal, porquê é tão importante dormir bem?

  • Ajuda a desenvolver o sistema nervoso;
  • O sono tem importância fundamental para o aprendizado, a memória e a criatividade;
  • Influência no desempenho escolar;
  • Durante o sono a energia é restaurada, ocorrem crescimento e reparo dos tecidos e liberação de hormônios essenciais ao crescimento e desenvolvimento;

Por fim, vale lembrar que uma noite mal dormida pode causar os piores pesadelos durante o dia. Além das olheiras, stress, cansaço, ansiedade e da sonolência, funções essenciais como a memória, atenção, concentração e até a secreção de algumas hormonas também são prejudicadas. Pois, não basta dormir, é preciso descansar com qualidade!

Sónia Munete

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.