Qual a fonte da sua energia?

Uma palestra com o Lama Samten

Na última sexta vi uma palestra ao vivo do Lama Samten pela primeira vez, e desde então estou pensando em compartilhar um pouco do que foi dito naquela noite. Acredito mesmo que seria muito bom se mais gente refletisse sofre o que foi ensinado.

A palestra era Felicidade na Vida Cotidiana e ele tratou o tema sob vários aspectos ao longo daquelas duas horas. Das coisas bacanas que ele falou, queria destacar aqui duas delas que achei bem interessantes.

Qual a fonte de energia de suas ações?

A primeira delas trata-se de observar de onde vem a sua energia. Quanto mais profunda brotar a energia que usamos para nossas ações, menos maculadas pelas circunstâncias temporais ao nosso redor serão estas ações. Teremos mais estabilidade e estaremos menos susceptíveis se usarmos a energia estável e sempre disponível, que nasce do que ele chamou de fonte primordial.

Ele diz que se permitirmos que nossas ações usem da energia de fontes flutuantes (ou emoções perturbadoras circunstanciais) como orgulho, inveja, desejo, apego, medo ou ignorância, fatalmente estas ações terminarão por causar dor e sofrimento.

Também colocou que através da meditação podemos ter acesso a esta fonte primordial de energia, que traz tranquilidade, uma mente “espaçosa” e um brilho especial a ela, que podemos chamar de felicidade.

É este brilho especial que buscamos quando paramos na frente de uma vitrine de bolsas ou eletrônicos. Ficamos olhando os objetos até encontrar um que mexa a nossa energia, fazendo nossos olhos brilharem. A sugestão dele é apenas parar, respirar 3 vezes bem profundamente para se conectar à fonte primordial, e sair do shopping sem gastar nada :)!

As bolhas de realidade

Outro tema muito interessante foi quando ele falou das bolhas de realidade. Todos nós acabamos fazendo parte de várias bolhas, simultaneamente, e elas podem durar pouco tempo ou uma vida. Ele dá como exemplo a bolha das relações entre pais e filhos, e explica o conceito de bolha colocando a situação de você viajando para o interior indo visitar a mãe.

Ela está lá te esperando na mesma casa, dentro da mesma bolha: ela te olha do mesmo jeito, dá as mesmas ordens e quer que você coma as mesmas coisas :)

As bolhas têm identidades, a energia lá dentro se move de uma determinada forma, os objetos têm um certo significado e tudo tende a acontecer de um determinado jeito. O bacana é que quando conseguimos parar e olhar as bolhas das quais fazemos parte, não estamos mais “dentro da bolha”! E é preciso ter clareza para olhar as bolhas sem flutuar emocionalmente com elas.

Novamente a meditação pode nos ajudar a adquirir estabilidade e discernimento para conseguirmos observar estas bolhas e não sermos arrastados por elas. Com a mente clara temos autonomia para observar as bolhas e então agir da maneira adequada.

Se formos um pouquinho atentos notamos que este “agir de maneira adequada” remete a usar a energia da mesma fonte primordial, que ele mencionou no começo da palestra, como o gatilho para nossas ações ;)

Além disso, ele falou mais um monte de coisa bacana, e para quem se interessou vale a pena assistir a palestra completa:

https://www.youtube.com/watch?v=PyMTn7JENRs&feature=youtu.be

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Maria Cardoso’s story.