Dicas de estudo para concursos públicos pt01

Ao longo dos meus 12 anos de formação passei em alguns concursos públicos e nos últimos 2 anos venho utilizando uma técnica de estudo que acredito ser bem eficiente e eficaz nos resultados, inclusive ela me ajudou a passar no último concurso que fiz: analista judiciário de TI do TRT8.

Esta técnica é básica, creio que o público alvo destas dicas seja aqueles que estão iniciando na jornada dos concursos ou que estejam parados e desejam voltar.

Bom, minha técnica é orientada a resolução de questões para criação de resumos e medição do aproveitamento para tomada de decisões.

Percebi que na maioria dos rankings de aprovados nas provas em minha área, os aprovados fazem, em média, 70–80% da pontuação da prova. Desta forma comecei a lutar para alcançar 80% dos pontos de cada matéria presente no edital. Meio lógico, não? Pois é, mas juntei isso com alguns detalhes que fazem a diferença:

01 — Conheça seu aproveitamento (%) de acerto de questões de cada matéria do edital, utilize planilhas para isso. Rumo a acertar 80% das questões daquela matéria que caiam na sua frente.

02 — Conheça seu aproveitamento (%) de acerto de questões de cada matéria das provas realizadas. Essa informação também ajudar a indicar o que você tem que estudar mais e o que você pode estudar menos.

03 — Pare de perder tempo estudando matérias cujo aproveitamento já esteja em 75–80%. Creio que seu objetivo seja passar na prova e não ser professor daquela matéria.

04 — Na sua agenda de estudos, quando estiver focado no edital, utilize a informação do aproveitamento para estudar mais as matérias de baixo rendimento e comece a apenas revisar o resumo das que você está melhor.

05 — Falando em resumo, faça resumos para cada assunto. Resumos devem ser sucintos (5–10 folhas máx), decoráveis e orientados a questões. 80% do conteúdo dos seus resumos devem vir da resolução de questões.

06 — Por falar em decorar, decore seus resumos. Conceitos, listagens e tópicos mais importantes, principalmente de TI, devem ser decorados, isso facilita e otimiza a resolução das questões na hora da prova.

Encerro esta primeira parte das dicas de estudo para concursos públicos, com uma frase de William Edward Deming:

Não se gerencia o que não se mede,
não se mede o que não se define,
não se define o que não se entende,
e não há sucesso no que não se gerencia

Espero utilizar este ou outro canal para compartilhar algumas coisas relacionadas a estudo para concursos públicos. Fiquem a vontade para compartilhar e comentar. Grande abraço e até a próxima.