Tá faltando empatia!

É o seguinte, estamos passando por um momento onde, graças a Deus, estamos sendo forçados a reconhecer e aceitar a diversidade. E, por mais difícil que isso seja para algumas pessoas está praticamente impossível para muitas outras respeitar a individualidade alheia, isso é triste.

Estou longe de defender algum comportamento desrespeitoso e violência que vemos com frequência para com qualquer minoria social; negros, trans, gays, mulheres, religiosos de qualquer crença, pessoas com deficiências e etc. Temos que respeitar independente do cenário onde fomos criados e mesmo que a sociedade que estamos inseridos tenha nos forçado a marginalizar qualquer realidade diferente da nossa própria.

Mas o que eu, como minoria, posso fazer para ajudar a educar o outro, que está cheio de ódio e nem sabe de onde esse ódio vem? Como eu posso criar empatia, como eu posso me posicionar de forma coerente com objetivo final de provocar mudança sem acabar como um ofensor, cheio de razão e ódio também?

A linha é muito tênue gente, toda hora eu vejo o jogo virando, o oprimido sendo opressor, sendo babaca, sendo desrespeitoso de volta. Ser empático não é ser trouxa não viu? Ta liberado se colocar no lugar do outro mesmo que esse outro esteja sendo babaca com você, isso sim é virar o jogo! Assim a gente entende o que está acontecendo e aí a gente pode ajudar o outro a se transformar, isso é a solução!

Vamos amar de volta! Vamos acreditar que todo mundo está fazendo o melhor que pode com as ferramentas que recebeu da vida. Temos que ajudar a transformar as opiniões e bater o pé no chão, dizendo “vocês vão ter que me engolir” não vai ser suficiente. O que vai ajudar mesmo é fornecer novas ferramentas para que a pessoa consiga fazer diferente e fazer melhor!

Ser quem você é, ser livre e garantir a sua individualidade não te dá permissão de ser babaca ok? Ok.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.