Você não deveria ter ido assim

Eu estava tentando ler sobre um plugin para o wordpress (coisas do trabalho). Uma quarta-feira que no início da manhã me fez colocar uma blusa e logo depois naquela hora eu estava suando na frente do computador.

O celular tocou. Meu pai. O aviso. A respiração ofegante. Um grito da minha mãe ao fundo. Entendi.

“Seu tio não aguentou.”

Como assim não aguentou? Ele estava tão bem, ninguém me falou que ele estava mal. E realmente, “ele nunca esteve tão bem nos últimos dias”.

São nesses momentos em que a gente percebe como a mente possui um disco rígido potente. Tantos pensamentos.

“Meu Deus os meus primos. Minha madrinha…Ai minha mãe, ele era o melhor amigo dela… PUTA QUE PARIU, SÉRIO MESMO?”

Sento na cama. Penso no que tenho que fazer na semana. “sexta-feira é black friday, preciso arrumar conteúdo pra post..Não, eu preciso arrumar a mochila.”

Não, ninguém pode ir embora assim. Sem avisar. Sem passar um tempo no hospital, sem deixar os parentes aflitos, sem passar uma velhice com os amigos…Não, isso é impossível.

Fiquei pensando em minha mãe o tempo inteiro, como vai aguentar, ou se irá conseguir passar por tudo isso. De novo. Em 2011 foi com o pai, e agora o irmão mais velho.

Ele realmente era de ouro, desde sempre ali ajudando todo mundo, perguntando se precisava de alguma coisa, “como tá aquela BH?”.

Tá indo tio, tá indo…

Quarta-feira. Ninguém deveria morrer assim, no meio da semana, deixando três filhos, uma esposa, uma mãe, cinco irmãos e uma penca de amigos. Não Deus, você não errou na lista? Você chamou errado. Você se enganou. Ele não Deus, eu pedi em 2011 quando o Vô Zé morreu, eu pedi com todas as forças que ninguém podia ir assim, tão cedo. E pedi ainda este ano quando o Vô Ladico nos deixou também. Eu disse que não queria voltar naquele lugar tão cedo.

Durante o dia que se passou, eu pensava em como poucas coisas nos deixam emocionados. Como quando alguém diz que vai estar ali para ajudar a família, quando um senhor pequeno, de chapéu, diz em um mineirês "qualquer coisa nós tamo aí, viu?". Isso me faz chorar. É quando um gesto pequeno, mostra o que é a bondade.

Mostra que mesmo com tantas pessoas ruins no mundo e que mesmo quando as boas vão embora, outras estão ali para ajudar.

Tios não deveriam ir assim. Ninguém deveria ir assim. E eu sempre odiei quartas-feiras.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.