Chegou aquele momento

Em que a gente acha que é forte demais

Que já aprendeu de tudo

Mas se vê o primeiro sintoma

Se esconde de todo mundo

E chega em casa e corre pro seu quarto

Apaga as luzes e escreve

O tempo chegou de novo

A garganta dói

Não se sabe se vai chorar

As lágrimas não caem

E tudo que pensa

São pensamentos sendo destruídos

Se o nosso mundo fosse um planeta

Seria Marte

Não existiria nada além de seca

Porque nunca existiu nada

Ao menos é o que parece no paradoxo que me encontro

Toda hora

Toda noite

Te buscava

Eram expectativas

Idéias que casavam

E que pareciam fazer sentido

Mas vejo que nunca fizeram

E tudo se acaba aos poucos

Eu era um único a pensar

Em sua mão segurar

E nos seus braços poder dizer

Alegria houve

Coragem houve

Erro houve

Esperar demais houve, sinceramente eu não se houve, o que houve, e porque houve

Texto escrito no final de 2014.

Sobre uma rede, de madrugada,

não estava muito bem

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.