Te escuto sussurrar em minhas costas, te escuto problematizar minhas atitudes, te escuto instigar meus demônios, te escuto achando segundas intenções em tudo que falo… te escuto.

Dentro de mim vive essa voz interior que me corrói, me destrói, sou refém das vozes de meus pensamentos, estou aquém do auto, que no ato do alto do meu pensar, é quem me tira autoria e me faz ator dessa tragédia interna chamada “EU”… simplesmente mais um Ribeiro.