Eu amei alguém que nunca existiu.

Eu quis acreditar que você era bom e incrível, mas o tempo abriu meus olhos.

Você não era o mesmo que demonstrou ser quando éramos amigos, nada compreensível e nem transbordava de sentimentos. Não soube amar, respeitar e lutar comigo. Não quis entender minhas fases, me magoava com cada palavra e ato. Não se importava com como eu me sentia, simplesmente dizia que era drama ou algo soberbo do meu ser. Você me fez acreditar que eu não me conhecia e que eu era uma péssima pessoa, um ser soberbo que não deve se amar e ser amado. Você quis me mudar, me moldar, confesso que você conseguiu muito, principalmente me iludir em meio a tantas mentiras e manipulações.

Com uma visão errada sobre tudo, eu segui, segui sem conseguir ver o que realmente era e o quanto estava absurdo tudo aquilo. Só enxerguei com amor, no escuro, sem mais sua luz pra iluminar o que era real. Sua luz se perdeu quando nossos olhares se cruzaram, nunca mais foi o mesmo.

Como o amor pode fazer você se sentir assim?

Como alguém que diz te amar não luta, não tenta melhorar sua própria vida para que vivamos bem?

Como alguém que diz te amar pisa em você sem pensar, esfarela o que já estava despedaçado?

Como alguém que diz te amar não valoriza o esforço, o amor que lhe foi dado?

Meus olhos enfim puderam ver tudo aquilo que você causou e se tornou. Erro meu sempre me culpar por algo que não era causei, que estava fora de cabimento. Não faltou carinho, luta, compreensão e acima de tudo o amor da minha parte. Eu coloquei mais uma vez o meu amor em risco e o você o massacrou.

Apesar de tudo o que eu quero agora é que você fique bem! Que viva intensamente sem estragar outras histórias. Que você aprenda realmente a amar e respeitar uma mulher.

Eu também quero ficar bem, me recuperar de todo o amor que perdi por mim. Quero me libertar, viver e não apenas existir.

Mesmo com toda dor que senti, eu nunca vou desistir do amor! Eu quero transbordar dele!

Contudo, vejo com clareza que você se confundiu quando acreditou que o que sentia era amor.

Adeus você.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.