Ideologia de gênero existe, mas não como você pensa.

Essa é a primeira definição de ideologia no dicionário e bem, como ela reflete na existência da ideologia de gênero? Simples, o fato de a sociedade impor que rosa é para afab e azul é para amab e ninguém se opor a tal, mostra que é um dos pensamentos, uma das certezas da nossa sociedade, dos nossos indivíduos que mesmo após pessoas quererem refutar essa certeza, eles mantiveram elas como sempre aconteceu. E é claro que não é apenas rosa e azul, mas sim também o fato de que heróis são em sua maioria homens, além das princesas que possuem muito mais enfoque no fato delas amarem os homens do que em si mesmas.

Por mais que você queira me falar que a Mulher Maravilha existe, lembre-se de que ela foi e ainda é muito sexualizada nas HQs. Por mais que você queira me falar que princesas independentes existem, lembre-se de que não são os primeiros filmes que te vem a cabeça quando eu peço para me dizer “filmes de princesas”, afinal, você falará Branca de Neve, Cinderella, entre outros que por mais que sejam bonitos, não entra no nosso contexto atual histórico da luta feminina (não falo apenas de mulheres, mas sim de todas as afab do mundo).

E já que eu toquei nesse assunto, preciso falar como que a ideologia de gênero afeta a forma como vemos o homem e a mulher. O homem tem que ser másculo, alto, não pode chorar, cabelos sempre curtos (exceto alguns raros casos), tatuagem, barba, bigode. A mulher tem que ser baixa, chora muito, cabelos longos, nenhum pelo no corpo, emotiva.

Mas como isso me afeta?
Simples, se você é um homem manteiga derretida, será a diversão dos seus amigos homens e até mesmo das suas amigas mulheres. Se você é uma mulher com pelos corporais vão te ver como um monstro, uma aberração.
Mais ainda, se você foge do padrão imposto pela ideologia de gênero, perseguirão-te ao máximo até você preferir esconder seus pontos fora da curva para que ninguém comece a te julgar, sendo que já estão se julgando há tempos.

Só isso?
Não. Claro que não. O fato de que você começa a se julgar e a ser julgado, faz com que você comece a se autodepreciar cada vez mais e mais, até chegar a um ponto em que você não terá mais coragem de sair de casa enquanto pessoa fora do padrão. Não só não terá coragem, como também fará de tudo para conseguir ser aceito no padrão, sendo que você pode nem ter como ficar nele, muitas vezes por questões genéticas. Então pelo fato de que você não tem como mudar a si mesmo, fará com os outros, impondo-os o que te foi imposto antes, criando assim um ciclo vicioso e problemático.

Ainda não me convenci de que esse padrão me afeta
Vejamos um exemplo:
A sua namorada (o exemplo dado não terá como usar quem é amab) decidiu que não aguenta mais sofrer todo mês por causa da sociedade, então ela vai parar de se depilar. O problema é que ela não consegue usar shorts, saias, vestidos, porque se ela fizer isso, olharão para ela sempre e aos poucos ela ficará doente. Só que ela não deseja voltar a sofrer com a cera quente, logo ela decide que só usará calças. Até mesmo ela não aguenta mais ter que tirar toda semana, mês, os pelos das axilas, contudo ela só usa regatas quando ela pode usar uma blusa por cima, assim ninguém focará nos pelos dela.

Outro exemplo:
Você decide que futebol não é mais a sua praia, que você enjoou por ser sempre a mesma coisa, sempre os mesmos times, mas seus amigos não querem que você faça isso, pois um homem precisa gostar de futebol. Ainda sim você não aguenta mais e prefere seguir o contrário do que seus amigos querem e adivinha o que aconteceu? Eles começaram a te chamar de viado, de bixa, falaram que você não era mais homem e outras palavras, expressões para que você se sinta culpado por ir contra o padrão.

Podem parecer exemplos banais, no entanto eles são bem pragmáticos se pensarmos no que ocorre hoje na nossa sociedade. E não adianta me falar que eles não existem, porque isso é real.

Agora, quando nós somos crianças, não entendemos os motivos disso tudo acontecer e apenas aceitamos para não causar problemas. A não ser que a criança não se importe com tudo isso e vá contra o CIStema, então ela decide que vai brincar com o que quiser, usar a cor que quiser, porém os responsáveis notam isso e cortam ela no mesmo instante, impedindo-a de explorar, além do que a sociedade permite.

Conforme essa criança que não pode usar rosa/azul, não pode brincar de bonecas/heróis, não pode usar vestido/terno, não pode assistir filmes de princesas/filmes de heróis, ela começa a achar que é normal e que ela deve manter isso para o resto da sua vida.

Pois bem, essa criança cresceu e teve um filho, logo o ciclo continuou. E o que aconteceu? Ela fez a mesma coisa que fizeram com ela no passado, fazendo com que seu filho sofresse as mesmas consequências e se o filho crescer e ter uma criança, esta criança terá os mesmos problemas. É claro que há quem consiga se desconstruir ao longo da sua vida, contudo não é algo comum e isso faz com que perpetue a ideologia de gênero.

E em que outros pontos a ideologia de gênero me afeta?
Quando você era criança, provavelmente não podia jogar na educação física, jogos mistos. Quando você cresceu, pediram para que você ficasse mais masculino/feminina. Quando você ficou adulto, pediram para que você ficasse no seu lugar como homem/mulher. Quando você ficou idoso, notou que tudo isso era balela e queria que as futuras gerações não passassem por isso de forma alguma.
Tirando os exemplos mais clássicos, a ideologia de gênero afeta mulheres (e afab no geral) que querem ser chefes, que querem comandar algo, até mesmo as suas casas. Por conta da ideologia de gênero, os homens (e amab no geral) não podem ficar abaixo das mulheres (e afab no geral), mesmo quando eles não tiverem opção. Além disso, o fato de existir a ideologia de gênero, faz com que as pessoas deixem de ver outros meios de ter uma vida, afinal, com a criação baseada quase inteira nessa ideologia, nós não abrimos nossos olhos e ficamos nela para sempre.

Como eu posso sair dessa ideologia?
Pesquise sobre ela, desconstrua-se ao máximo. Para isso existe o feminismo, que mostra bem como é essa ideologia e como ela é inteiramente ligada ao machismo. Por mais que quase ninguém use de fato o termo “ideologia de gênero”, o fato de elas debaterem sobre o machismo, sobre os estereótipos impostos desde o nascimento, ajuda muito você a entender como que funciona tudo isso e como nós podemos mudar. Mas claro, tomando os devidos cuidados, porque a luta feminista foca na equidade entre homens e mulheres, assim elas terão como ter o mesmo lugar na sociedade. No entanto, o fato de que pessoas de outros gêneros e pessoas trans também terem o mesmo problema, principalmente as mulheres trans, torna-se necessário a presença delas também.

Você pode ser contra o feminismo, pois acha que ele é inútil nos dias de hoje, mas saiba que isso é mentira. O feminismo vai ter que existir enquanto há sérios problemas na hierarquia patriarcal, cujos homens ficam em cima e as mulheres embaixo. Portanto, pesquise muito sobre o machismo, pesquise sobre os estereótipos, pesquise sobre tudo o que puder e que envolva esse tema e acima de tudo, lembre-se de que não há ideologia de gênero da forma com que todos pregam hoje em dia. Afinal, ninguém escolhe sofrer preconceito, pois tal qual não há opção sexual, já que nenhum gay, nenhuma lésbica, nenhum bi, nenhum pan, nenhuma ace decidiram sofrer preconceito, acordaram um dia e falaram “hoje eu quero ser pansexual”, isso ocorre com o gênero também. Eu não escolhi sofrer preconceito no CIStema, eu apenas sou o que sou, ou seja, não binário e dentro do guarda-chuva não binário, eu sou agênero.

A ideologia de gênero precisa ser combatida, precisamos deixar nossos amab e nossas afab livres desse mundo que tenta segregar cada vez mais as funções de homens e mulheres, as roupas de homens e mulheres, os brinquedos, os filmes, tudo para que fique mais fácil dominar e alienar.

Glossário:
Afab: Sigla do inglês para designado mulher ao nascimento
Amab: Sigla do inglês para designado homem ao nascimento
Pansexual: Orientação sexual, em que se atrai por todos os gêneros ou por pessoas
Ace: Abreviação de assexual, orientação sexual em que não há atração sexual, além de ser um espectro
Agênero: Identidade de gênero, em que a pessoa não possui um gênero