Experiência ou vícios profissionais?

Existe um dilema recorrente entre as startups que está relacionado à montagem / crescimento de equipes: vale mais a pena focar as contratações em pessoas em início de carreira, com praticamente nenhuma experiência profissional, ou buscar alguém que já tenha uma trajetória, até mesmo em empresas similares?

Claro que não existe uma única resposta e são vários os fatores que influenciam nesta decisão:

  • Qual a função esta pessoa irá exercer?
  • Existe tempo para ela ser treinada?
  • Quanto você pode pagar?
  • Existe este perfil de profissional pronto no mercado?
  • Com que velocidade você precisa contratar?

Estas são apenas algumas perguntas que pensei agora rapidamente, mas você certamente também tem outras.

Mesmo respondendo a todas elas e optando pelo que é melhor para a sua empresa no momento, tem um perfil que descobri recentemente e que tem servido de alerta. O profissional que teve APENAS UMA experiência de trabalho, e que esta foi tão marcante em sua carreira que tudo o que viveu lá virou verdade absoluta.

Considero essa pessoa com um vício profissional grave e que provavelmente será bastante complexo adaptá-la a outra cultura ou a outros processos.

Então, hoje pra mim pouco importa se contratamos alguém com muita ou pouca experiência (claro que depende da função), porém sempre soa um alerta caso seja alguém com uma única experiência marcante.

O que você acha? Já percebeu algo parecido?

Ah, estou pontuando apenas características comportamentais e não estou trazendo pra discussão os benefícios de conhecimentos técnicos que são adquiridos apenas com experiências prévias.