Minha Jornada em direção ao minimalismo

Mudar é uma necessidade. Só imbecis não mudam. A autoavaliação é parte de saber existir. é tão necessária que as forças demoníacas nos mantém em embalo, no ponto morto, empurrando com a barriga exatamente porque uma mente que reflete chega até a verdade e se for honesto o suficiente descobre que a verdade é realidade e partilha da essência do próprio Deus. Assim, as forças da maldade e do não-ser nos levam ao caminho do ópio motivador: não pense, seja feliz, não jogue tudo fora, olhe o que já se conquistou, queira mais, seja mais, trabalhe mais, não reflita, compre ame, use , cheire…ande…isso é progresso, isso é coisa de pessoas evoluídas.

Odeio frases de efeito. E é a única que coisa que sobra na vida de alguém que foi tomado por isso, pela necessidade de viver igual a todos. é um esforço terrível se livrar dessas coisas.

Decidi sofrer isso

Aqui começa minha caminhada ao minimalismo.

Acredito que o minimalismo é o primeiro passo numa caminhada de independência, que nos coloca diante de sérias decisões:

  1. O que eu tenho que devo manter?
  2. Do que eu tenho que me livrar?
  3. O que é peso morto?

Essas são as perguntas da semana. Vamos ver como eu me saio.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.