Sobre uma história que virou um livro que gerou um blog que me trouxe até aqui.

Eu gostei de ler e de escrever desde que aprendi a fazer isto.

Desde pequena eu tinha vontade de escrever um livro, mas nunca tive nenhuma ideia brilhante de ficção para gerar algo genial que fosse interessar alguém; porém, sempre fui boa em falar das coisas que eu vivi, mesmo que através de um poema, um conto, um Tweet que fosse.

Então, uma dia eu reuni todos esses escritos curtos que fiz e juntei eles em um livro de nome “Qualquer pedaço de um pedaço qualquer”.

Mandei minha pequena obra pra algum amigo ou dois, mostrei pra minha mãe, usei poemas separadamente para algum trabalho da minha faculdade de Letras, mas foi só isso mesmo.

Esse ainda não era bem o livro que eu tinha pensado que um dia escreveria.

Mais tarde, comecei a escrever outra história, que era sobre mim, mas que eu não sabia bem para onde iria.

Então eu engravidei , e tudo fez sentido.

(Ensaio de gestante, por: https://www.instagram.com/bttncrt/)

Eu virei mãe no dia vinte e nove de maio de dois mil e dezesseis. Embora nove meses antes disto eu já fosse meio mãe, por estar carregando o meu filho no ventre por todo este tempo, a coisa só fica séria MESMO quando o bebê nasce.

E juntamente com o meu filho, nasceu o meu livro. O nosso livro.

O “O nome dele é só Theo”.

Escolhi este título porque é a resposta que muitas vezes já tive que dar em diálogos do tipo:

“Mas não é Theodoro? Theófilo? Theoseilaoquemais?”
“Não! O nome dele é só THEO!!!”

Terminei de escrever o livro no dia trinta de novembro.

Um pouco antes eu criei uma página no Facebook para me motivar a, justamente, terminar de escrever o livro (!!!).

(Capa da Página no Facebook, relacionada à ilustração do livro)

Após isto, como ainda tenho que registrá-lo, correr atrás de quem queira publicar ou até mesmo mandar fazer por conta própria, refleti que os seguidores da página mereciam um conteúdo extra pelo apoio que estão me dando. Uma espécie de amostra do que o livro vai conter, mas que fosse mais abrangente do que a nossa história, para não perder a graça do livro, só que de uma maneira que ele continuasse associado aos textos soltos também. Sei lá.

E assim surgiu o meu blog.

Me mandam fazer blog desde que blogs existem. Finalmente criei vergonha na cara e fiz porque achei um motivo pertinente: o subtítulo do livro é “Sobre as grandes mudanças que um ser tão pequeno é capaz de causar” e partindo disto pensei em falar no blog sobre às mudanças que os bebês sofrem também - porque são muitas!

Tó o link:

onomedeleesotheo.webnode.com

Finalmente (pt. II), ao ver que fiz um blog no Webnode, um amigo veio me falar que conheceu o Medium e que depois disto sua vida mudou para melhor.

Bem, eu estou satisfeita com o meu blog, com a proposta que eu pretendia, lá no Webnode - ao menos por enquanto.

Mas todos queremos ter as vidas mudadas, né?

Pois bem: Eis-me aqui.

Não custa nada tentar.


Aos interessados:

Página no Facebook: facebook.com/hisnameisjustheo

Blog: onomedeleesotheo.webnode.com

Sigamos!

Like what you read? Give Manoela Guedes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.