Alimentando Alma


Uma visão ampla do problema

O nosso maior desafio então, é o fato da desigualdade ser algo não solucionado na nossa sociedade. Temos vários problemas de administração que acabam deixando milhares de pessoas a margem da sociedade. Essas pessoas vivem com o fardo de não saberem se vão ter o que comer e onde dormir no seu dia a dia. Em contrapartida as pessoas com um maior poder aquisitivo desperdiçam recursos e não dão valor a sua melhor situação econômica. A nossa iniciativa tem como base projetos de várias ONGS espalhadas no Brasil, que buscam trazer uma melhoria de vida para essas pessoas e também um choque de realidade para pessoas que não dão valor para o que possuem, a partir disso desenvolver um movimento de empresas mais focadas no social, usando o marketing para divulgar e captar recursos para o nosso projeto.

A motivação do time

A nossa motivação vem de experiências beneficentes anteriores e uma esperança na mudança do cenário social brasileiro. Vemos milhares de pessoas passando umas pelas outras sem trocar olhares, como se a vivencia das outras pessoas não fossem acrescentar nada em sua vida. A nossa motivação é fazer com que essas experiências possam ser difundidas, buscando uma melhoria no nosso convívio social.

Descrição das possíveis causas do problema

A má gestão dos nossos recursos faz que a nossa sociedade seja desigual. Temos poucos investimentos em educação e no futuro da nossa sociedade, vivemos em um país em que o futebol recebe mais atenção do que a saúde, em que as pessoas escolhem como representantes indivíduos que se preocupam somente com os seus interesses. Todos esses fatores somados a sucessiva incompetência de nossos governantes sempre focados no pão e circo, deixando a nossa sociedade completamente desamparada desde a colonização. Faltam empresas que estejam realmente preocupadas com o social, queiram introduzir pessoas que não tiveram oportunidades.

Pesquisa sobre o tema

A Fiat Automóveis atua para a promoção do desenvolvimento local inclusivo das comunidades onde está presente, trabalhando continuamente para construir oportunidades coletivas e individuais de transformações. Ela inclui a comunidade através do programa Árvore da Vida, para a concretização de sua própria política. Uma comunidade envolvida nesse programa é a região Jardim Teresópolis, localizada em frente à fábrica da Fiat em Betim (MG) e que concentra cerca de 33 mil pessoas dos bairros Jardim Teresópolis, Vila Benge e Vila Recreio.

O Árvore da Vida — Jardim Teresópolis realiza ações voltadas para o desenvolvimento local, com projetos para crianças, jovens e adultos e seus públicos de relacionamento, como a família e as escolas. O programa tem como estratégias:

•oferecer atividades socioeducativas

•fomentar a geração de emprego e renda

•promover o fortalecimento da comunidade

O Árvore da Vida Jardim Teresópolis é realizado em parceria com a ONG Cooperação para o Desenvolvimento e Moradia Humana (CDM) e a Fundação AVSI. Conta também com o suporte da Rede Fiat de Cidadania, constituída por uma aliança intersetorial gerida pela Fiat e formada por diversas empresas, especificamente fornecedores e concessionárias, além do poder público e terceiro setor.

Fonte: http://www.fiatpress.com.br/institucional/exibePagina.do?operation=exibir&idPagina=18&menu=0&categoria=1&subcategoria=1

Entrevista

Entrevista — Moradores de rua

Local: Viaduto da Lagoinha

Entrevistados: Alberto dos Anjos, Maria do Carmo Silva, Elizeu Aparecido Costa

1- O senhor(a) teria interesse em participar desse projeto? Ficou bem claro a parte do alimento “espiritual” e não apenas carnal? Sim, Adoramos a ideia do projeto, sofremos muito com a falta de alimentos, mesmo recebendo ajuda de pessoas que passam na rua e de alguns projetos sociais, mas saber que teria algo fixo nos daria uma segurança maior. Em relação ao alimento “Espiritual” gostaríamos muito de receber, já que somos religiosos e sempre rezamos e nunca deixamos a fé de lado.

2- Mas em relação ao alimento espiritual não estamos apenas falando do apelo a religião, remetemos ao apelo social, no qual vocês terão oportunidade de conversar com outras pessoas, contar e escutar histórias de vida e começar novas amizades. O que acham disso? Sofremos muito preconceito por morar na rua, muitas pessoas mudam de calçada nos ignoram, tem medo e dessa forma é bem raro quando alguém nos dá atenção.

3- Então realmente vocês sentem essa carência de atenção, Correto? De serem percebidos ? Sim. Muitas vezes as pessoas acham que vamos assaltar, ou pedir algo ou até mesmo incomodar, quando na verdade estamos apenas ali, vivendo um dia após o outro.

4- O que você espera do nosso projeto? Esperamos um lugar aonde somos bem tratados e aonde podemos contar com um alimento quando necessário

5- Vamos ter a opção de ajuda coletiva para todos os nossos beneficiados e colaboradores. São atividades simples, como: Lavar pratos, limpar mesas, ajudar na produção da comida, servir e recolher alimentos. A ideia e as pessoas não se sentirem apenas como “beneficiadas” e sim se sentirem orgulhosas por estar ajudando também. O que vocês acham disso? A ideia de ajudar e ser ajudado e sempre bem-vinda, aqui sempre compartilhamos o pouco que temos, somos muito gratos pelas pessoas que nos ajudam, e seria ótimo se pudéssemos agradecer essa ajuda através de algum trabalho como os citados acima.

Vídeo sobre o tema

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.