Manu Camargo

Designer da Tribo

MINHA PRINCIPAL CRENÇA

Todos nós podemos ser o que queremos, mesmo que você queira várias coisas diferentes.

O QUE EU FAÇO NA TRIBO

Ajudo a tangibilizar nossas ideias e projetos através de vídeos que contam nossas histórias e peças gráficas que facilitem nossa comunicação.


MINHA HISTÓRIA

Quando adolescente projetava capas de cadernos personalizados para minhas amigas, fotografava os encontros familiares e fazia aulas de saxofone nas horas extras. Mal sabia eu o quanto isso me influenciaria no futuro.

Como quem não entendia que era aquilo que amava fazer, resolvi fazer Hotelaria. Me formei, nunca atuei.

Com 19 anos, arrisquei. Fui empreender (com meu namorado, com quem resolvi dividir não só o trabalho, mas a vida toda) uma agência de comunicação chamada Zipercom onde aprendi tudo, que a faculdade nunca ia me ensinar, durante os 4 anos seguintes. Foram nesses anos, entre fotografias corporativas, filmes institucionais, identidades visuais e alguns clientes como Danone, Ministério da Educação, Prove, Mural do Coach e até uma banda (DFDC), que pude expressar minhas verdadeiras paixões.

Em 2016, resolvemos (eu e o Allan Roosch) aceitar o desafio de empreender dentro de uma organização, o Mural do Coach. E foi aí que nossa história com a Tribo (antes mesmo dela existir) começou.

Hoje, fazemos parte dessa Tribo de pessoas que tem sede por mudança e acreditam em um futuro humano. Onde as pessoas, assim como nós, possam fazer mais do que amam e ser quem realmente são — de corpo e alma.

Ah! E a música? Uma caixinha guardada, com carinho, ansiando ser aberta.


PARA ME CONHECER MELHOR


MEU LIVRO FAVORITO

Enquanto lia, era como se ele desenhasse o retrato de nós — humanos — , do presente. Ainda somos os mesmos, mas não precisamos ser.


MINHA CITAÇÃO FAVORITA

" Pois a boca fala do que o coração está cheio." — Mateus 12:34b

A gente compartilha algo? Entra em contato comigo, é só escrever para manu@tri.bo :)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.