Um pouco de poesia

Quando resolve-se escrever com e sobre o sentimento.

Ah, flor, como foste ainda flor,

meu amor.

Flor, com teu cheiro, tua cor.

No aconchego dos meus braços

repousa,

como brisa leve que pousa.

Borboleta será tua amante, serei eu.

Te olhando sem te ver, me via,

brotar do teu botão me arrepia.

Hei de ser, somente ser, hei de ser

tua redoma.

Quereis que eu fosse,

como quereis se sempre fui?

Sou, seria, fui, serei teu beija-flor.

És, seria, foi, serás o meu amor,

Meu jardim, minha flor.

Minha pequena, minha morena,

tão imenso amor,

que surgiu de uma flor

e, no fim, não acabou.

O que é o fim? Não acabou.

-MV

https://www.facebook.com/MVersos-878141088920866/

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Manuela Versoza’s story.