no title

eu tentei ficar. 
eu jamais quis ser a tempestade em meio a sua calmaria. 
eu jamais quis ser a escada sem corrimão que beira o precipício. 
eu jamais quis ser a janela aberta que bate durante a noite por qualquer brisa e te faz despertar assustada. 
eu jamais quis ficar paralisada várias vezes por várias noites te fazendo perder o sono. eu nunca quis ser o seu relógio atrasado. 
me perdoa por nunca deixar de lavar as mãos toda hora ou de reclamar quando você chegava entrando sem limpar os sapatos.
eu nunca quis ser o dia nublado em seus olhos cheios de luz. 
eu nunca quis ser seu vício mas também não fui nada parecido com virtude. 
talvez agora eu te entenda, sou pequena demais pra esse oceano. 
grão de areia entre os pinhais. 
mas você esperou de mim o que nem eu esperava e sempre voltamos à estaca zero. 
não queime o cobertor que já te aqueceu ou leve à palmatória a mão que te acolheu sempre em todos os momentos. 
e por favor, mesmo que eu te entenda e que eu te dê razão, não me mastigue assim nunca mais.

pra acolher um novo inquilino, você não precisa escurraçar o antigo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.