Californication

PAIS SEPARADOS? QUE BOM!

Se pudesse controlar a vida, eu nunca deixaria meus pais viverem sob o mesmo teto.

Meus pais se separaram quando eu tinha 5 anos, eu não tinha muita noção do mundo, não sabia ver as horas em relógio analógico e nem ordenar os meses no calendário; eu tinha só cinco anos e uma certeza: eu amo que meus pais estejam separados.

Apesar da saudade, do estranhamento, da mudança, de ver meu pai uma vez por mês, de falar mais por telefone e ter menos contato com meus primos e tias, na suavidade de ser uma criança eu sabia que era melhor assim. Minha mãe e meu pai sempre foram companheiros e amigos e isso era o que tinha que ser, por que forçar uma convivência que não era boa?

Por anos as pessoas me olharam com uma ponta de pena no brilho do olho, pelo fato dos meus pais serem separados: “oun, tadinha, deve ser difícil”, “a culpa não é tua, tu sabe disso, né?”, “um dia eles vão se acertar”, NÃO. Eu nunca quis que eles se acertassem.

Desculpa, gente.

Eu ainda não descobri como a vida acontece, se o destino é de fato predeterminado ou se tem alguém brincando de casinha com a humanidade, eu realmente não sei, mas a verdade é que se pudesse controlar a vida, eu nunca deixaria meus pais viverem sob o mesmo teto. Por mais insano e absurdo que isso possa parecer.

Minha mãe e meu pai são pessoas extraordinárias, cheias de opiniões e dúvidas e vontade de viver, felicidade e alegria, gênio forte e muita teimosia, tanto é que me fizeram! ❤ Mas tem gente que funciona melhor na amizade do que no amor, tipo Ted e Robin de HIMYM, sabe? Eu nasci de um amor que era mais amizade e companheirismo. Um amor que pela força dos acontecimentos teve desgastes, dor, saudade, tristezas, brigas, mas também um sentimento forte, incondicional e verdadeiro, que me criou e me preparou para o mundo.

É doido o quanto eu sou uma mistura dos dois, da aparência aos pensamentos, das preferências às referências culturais. Eu começo e termino como um novelo de lã do que esse amor construiu. No romantismo dessa história, eu sei que eles foram o melhor que poderiam ser em todos os momentos até aqui, botando de lado os próprios desejos e objetivos de vida, anulando o que queriam pelo que era melhor pra mim — no que eles entendiam que seria melhor, nos acertos e nos erros, nas escolhas difíceis que a vida coloca no caminho — duas vidas que criaram outra, completamente diferentes e iguais ao mesmo tempo.

Ver meu pai e minha mãe separados me faz feliz porque só eu conheço os sorrisos deles juntos e separados. Pode ser que seja difícil admitir, mas a vida é assim, meio desencontrada e avessa do comercial de margarina, minha família é feita de dois amigos e uma cria :) e tá tudo bem. A gente se ama, cada um do seu jeito. ❤