O que diabos aconteceu com a GERAÇÃO Y?!
Ícaro de Carvalho
4.8K664

Acho que tem pontos diferentes aqui no texto. Um eu concordo totalmente, a cultura da "razão é do cliente" e a questão de fazer tudo pelo cliente. Isso é realmente um problema que existe, mas que pode ser explicado pelo histórico ruim de serviços no Brasil. Esse histórico fez com que buscassem alguma forma de equilíbrio, hoje realmente temos que ver se faz sentido em cada caso. O certo é que nenhum desequilíbrio é bom, nem o cliente sempre com a razão, nem a empresa que não liga pra os clientes (o que ainda acontece demais também).

Quanto ao ponto da não separação entre o trabalho e a vida, acho que o texto da uma visão muito simplificado ao problema. Primeiro que no Brasil é muito diferente entre um estado e outro. Aqui em São Paulo acontece muito isso que foi descrito aqui, mas em outros lugares é muito mais difícil. Principalmente na capital há uma cultura de vida pra o trabalho, e nem precisa ser esse tipo de problema que foi falado aqui, mas uma pessoa que se descola 2 horas pra ir e 2 horas pra voltar ao trabalho tem os mesmos prejuízos citados aqui.

Colocar os benefícios dos ambiente de trabalho e flexibilidades proporcionadas nos dias atuais como algo ruim é leviano. Isso é ruim quando a empresa é ruim. Não é porque uma empresa é cool que ela é legal. Se não tem gente boa, se não se importam com a vida dos seus empregados, se não criam políticas pra isso, se não conhecem técnicas, elas são uma merda.

Eu trabalho com startups há 6 anos e de todas que eu trabalhei, somente uma era ruim. Mas comparativamente com empresas tradicionais de TI, ela era bem melhor do que as que eu já trabalhei durante meus 15 anos de carreira.

Então esse negócio de geração perdida, ou qualquer coisa assim, acho que é uma falácia. Sempre tivemos gente boa e ruim, empresas boas e ruins, condições economicas boas e ruins. Os problemas de hoje devem ser encarados e expostos como você fez aqui, mas colocar isso na conta de uma geração é demais.