Quanto vale seu tempo?
Thyagi Das
51

Thyagi, meu amigo… Lhe felicito pela coragem (estar em seu coração) para compartilhar sua experiência. Também sua vulnerabilidade (abertura) para aprender com a vida, e ainda, por seu compromisso (consigo mesmo) para lidar com a vida, tal como ela é, desde um lugar de clareza e responsabilidade (habilidade para responder). O ego (velho conhecido nosso) tem uma necessidade incrível de nos envenenar com pensamentos medrosos. A alma (incansável companheira), esta sim, guarda a sabedoria acumulada de tantas vidas. Eu vivo entre a zona rural (meio do mato) e a cidade grande (Porto Alegre). Sou fruto do meio e me pego com reflexões semelhantes e escolhas parecidas. Já fiquei sem dinheiro (faturamento quase zero), a casa já pegou fogo (perdi quase tudo), e foi aí que aprendi a receber e pedir, sem medo de ser feliz. Ainda assim, o velho amigo, às vezes bate à porta e vem me visitar. Sigo aprendendo, fazendo escolhas e mais, sigo me dando conta que nesse mundão em que habitamos precisamos operar minimamente para nos manter, cuidando de nós para cuidar dos demais e continuar aprendendo com tudo que nos passa. Boa sorte nas suas andanças e vou dar uma olhada nas suas músicas.

Like what you read? Give Marcello Lacroix a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.