Sujeitos

Certa vez uma grande professora de português me ensinou a definir os sujeitos. Aos interessados em entender um pouco mais sobre essa figura complexa, mas fundamental na conexão que dois serem humanos estabelecem por meio da língua, segue, em resumo, aquilo que aprendi.

  • Sujeito Simples é um só, apenas uma parte importa:

- Ele estava bem.
- Ela estava linda.

  • Sujeito Composto é complicado, é quando duas ou mais partes realizam a ação, mas o fazem juntas e, portanto, são um sujeito só:

- Ele e ela se beijaram.
- Ele e ela se aproximaram.

  • Sujeito Oculto é aquele que está implícito, todos sabem quem é, mas não falamos:

- (Ele) Apaixonou-se.
- (Eles) Conversaram.

  • Sujeito Indeterminado é aquele em que não é possível definir quem é o responsável pela ação:

- Descobriram que não se sentiam da mesma forma.
- Pararam de se falar aos poucos.

  • Sujeito Inexistente é quando não há quem pratique a ação. É como um evento da natureza, ou seja, acontece, mas não é por mérito ou culpa de ninguém:

- Faz muito tempo que nem se cumprimentam mais.
- Faz muito tempo que se tornaram estranhos.

Like what you read? Give Marcello Otávio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.