Deixei de ser morador e passei a ser turista.


instagram.com/marcelneres

Lembro que quando, em conjunto com um amigo, decidi deixar de passar as madrugadas acordado e gastando uma boa grana nas baladas da Augusta, fiquei na dúvida de como faria pra me divertir.

Parecia óbvio que eu fazia parte daquele lugar e não queria sair de lá. Conhecer gente na fila gigantesca da Blitz Haus era demais! Como podia deixar de fazer parte daquilo? Deixar de olhar para as luzes do teto do Beco, escutando “What You Know”? Ok, vai doer, mas sou mais forte isso. Só não tirem a Jukebox da FunHouse de mim, por favor!

instagram.com/marcelneres

Foi duro, mas, venci. — Tá, mas e agora? Vou passar o final de semana/feriado em casa? Amo a Netflix, mas não nasci pra isso (acho). — Comecei me atualizando com as séries mais comentadas do momento, mas tinha a necessidade gigante de ver gente. Ficava ali “scrollando” meu feed do Instagram e Facebook, e, naquele momento, parecia que todos haviam perdido a mania de postar seus momentos de ostentação de drinks (traz a que pishca) e boas cia. Com muito menos freqüência, apareciam as fotos e convite dos baladeiros tentando me aliciar. Poxa, que ótimo né!

O que vi, foi que cada vez mais as pessoas estavam usando os eventos do Facebook, para agora, ostentar de outra forma seus rolês. Não era mais as fotos! O trend agora é CONFIRMAR PRESENÇA na balada X, no show Y ou, até nas passeatas Z (zZzZ).

scrollando meu feed

A partir daí, minha timeline se enchia de eventos, nos quais eu tinha muito interesse. Feiras, exposições, mostras, sunset partys, cinema, shows… Enfim, uma enxurrada de passeios que me despertava grande vontade de me desgrudar do sofá. E o melhor, boa parte disso era de graça!

Passei a frequentar esses eventos, e com isso fui re descobrindo a cidade. Lugares onde estive milhares de vezes, passaram a entrar num grau de percepção nunca atingido. Eu estava explorando aquele lugar que era meu. O parque, o mirante, a praça, a avenida… A CIDADE.

Me sentia um turista. Daqueles que veem pra cá e enche os olhos com tamanho espanto, pois as opções para aproveitar a cidade são quase infinitas. E um detalhe, andando apenas de transporte público. Mesmo morando em bairro periférico, longe do centro, ando de transporte público e faço dessa viagem mais um atrativo.

Minhas fotos de turista em SP — instagram.com/marcelneres

Hoje, sou frequentador da cidade de São Paulo. Não larguei a Netflix, não deixei de sair a noite, mas não troco um passeio (mesmo que sozinho) na Avenida Paulista num sábado a noite ou domingo a tarde.

Passo alguns minutos procurando eventos no Facebook, pois assim, andando e desando por São Paulo.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Marcel Neres’s story.