Vendedor de balas no ônibus

Estava na minha ida diária ao centro do rio e como sempre, um vendedor entra no ônibus uma pessoa e começa a falar, nem olho já pensando se alguém vendendo alguma coisa. Mas algo diferente dessa vez estava ocorrendo, ele não estava vendendo um produto, mas sim agradecendo os que sempre compravam com ele.

Desde jovem ele com pouco estudo e nenhuma oportunidade na vida, não se deixou influenciar em entrar para o crime e arrumou alternativa para conseguir seu sustento. Começou a vender balas nos sinais e mais para frente, dentro dos ônibus. Foram anos e anos nesse trabalho árduo, onde pessoas mal humoradas o tratavam mal, motoristas o desrespeitam, somando-se a isso o calor que faz no verão carioca.

Mas ele tinha um sonho, fazer a faculdade e lutar por uma vida melhor. E agora ele havia conseguido. Nessa batalha tirava o dinheiro para seu sustento e no tempo livre estudava. Concluiu o ensino médio, estudou sozinho e conseguiu passar em uma faculdade. Mas ainda sim continuou sua batalha pelo sustento vendendo balas nos ônibus da cidade. Até que agora se formou e conseguiu um emprego.

Muitos ignorariam o passado e só pensaria no que viria pela frente, mas ele fez diferente e voltou as origens agradecendo a oportunidade que cada passageiro lhe deu com seus trocados comprando balas. Muitos, clientes antigos se emocionavam com aquele momento, outros choraram, momento atípico dentro de um ônibus. Mas feliz.

www.barrosontheroad.com

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.