calo o olhar

pra dizer em silêncio.

que já não há combustível pra conversa

pra que sofrer no rabisco,

na resenha,

no verbo não dito.

calo o olhar pra dormir de olho fechado,

em busca de sonhos.

de vazios.

de medos distantes.

no mergulho da ilusão,

na melancolia do pensamento.

calo o olhar pra mantê-lo quieto,

na vaidade do olho,

na viagem da pupila.

calo o olhar pra não falar besteiras

no peso das pálpebras.